COMO RECONHECER UM CRENTE/EVANGÉLICO?

Este é o nome de um artigo postado em blog brasileiro. Veja o que dizem de suas filhas e de vocês, irmãos e irmãs evangélicos. Conteúdo EXTREMAMENTE OFENSIVO, impróprio para menores de idade. Fica a pergunta: ONDE ESTÃO AS AUTORIDADES DESTE PAÍS? Maiores de idade cliquem aqui.

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

CONFIRA OS PASTORES E EVANGELICOS TRAIDORES DO BRASIL: QUE ASSINARAM O "Manifesto apoiando Lula, PT e seus bandidos"

TRAIDORES DO BRASIL:"Manifesto evangélico pelo governo do PT, mas nenhum manifesto por um Evangelho sem ideologia política"

Link deste artigo: http://bit.ly/1LBE4GI

Manifesto evangélico pelo governo do PT, mas nenhum manifesto por um Evangelho sem ideologia política

Julio Severo
Um manifesto intitulado “Manifesto de Evangélicos pelo Estado de Direito - Iniciativa do Missão na Íntegra” está circulando entre pastores evangélicos na internet e acabou de chegar às minhas mãos. Claro que, como sua intenção oculta é dar apoio ao barco petista que está afundando, não vou assinar. Mas importantes líderes evangélicos, ao que consta no documento, já assinaram, inclusive Ariovaldo Ramos, Ed René Kivitz e Ricardo Bitun.
Ariovaldo Ramos é o presidente da Visão Mundial, filial brasileira da poderosa e rica organização americana World Vision. Entristece-me ver o dinheiro dos evangélicos americanos sendo investido na propagação ideias da Teologia da Missão Integral no Brasil, através de seu “apóstolo” maior, Ariovaldo.
Ed René Kivitz é um pastor liberal que vem sendo paparicado há anos por igrejas da Teologia da Missão Integral. A mais nova paparicadora é a Igreja da Lagoinha.
Ricardo Bitun é o coordenador dos cursos de teologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Ele é também um dos líderes da ANAJURE, uma entidade jurídica evangélica.
Para ver a lista completa dos nomes de todos os pastores que até agora assinaram o manifesto, consulte este link: http://archive.is/ynD0K
O texto abaixo, que maliciosamente defende o governo do PT, é o conteúdo do manifesto que está circulando em nome da entidade Missão na Íntegra, cujo foco é a promoção da Teologia da Missão Integral. O manifesto, que está circulando entre líderes evangélicos, não tem meu apoio e só está sendo repostado aqui para denúncia. Se a Missão na Íntegra não tem envolvimento com esse manifesto que leva seu nome, favor se comunicar com o Blog Julio Severo. Eis o manifesto:
Nestas últimas semanas, a nação brasileira tem vivido momentos de aflição, angústia e ódio. A ausência de serenidade e cautela, nesta hora crítica, tem despertado muita preocupação e tememos que o acirramento provocado venha custar vidas humanas.
Conquanto tenhamos entre os membros de nosso movimento, como em todo o universo evangélico, as mais diversas opiniões políticas, ideológicas e opções partidárias, há em comum a pregação da tolerância, da paz e da justiça, conforme a orientação das Escrituras Sagradas. Desejamos, neste manifesto, nos posicionar a respeito desses acontecimentos.
Todos os signatários deste manifesto declaram que:
• como cristãos, rejeitamos e denunciamos com veemência a corrupção, a iniquidade, a impunidade e o ataque ao Estado Democrático de Direito. Esses desvios fazem com que o pão não esteja na mesa do pobre, e deixem os enfermos e os órfãos desamparados.
• entendemos que a corrupção e a impunidade têm sido problemas endêmicos na sociedade brasileira. E que a indignação de todos nós contra isso é justa e profética. Contudo, rejeitamos igualmente toda indignação pecaminosa que suplante o ordenamento jurídico, que aja com parcialidade e dissemine o ódio e o desejo de vingança entre os brasileiros.
• somos favoráveis a que todos, em quaisquer posições que ocupem ou de quaisquer camadas da sociedade, denunciados na forma da lei por possíveis crimes, sejam investigados e julgados. Porém, só se faz justiça civil pela aplicação rigorosa e exclusiva da lei. Não concordamos que os ritos necessários para o juízo legal sejam adulterados apenas para atender ao clamor público.
• rejeitamos a postura midiática tendenciosa com divulgações editadas dos processos investigativos. Essa prática irrefletida apenas tem promovido dias de aflição e angústia para os brasileiros, além de propagar o ódio e a intolerância com quem pensa de forma diferente sobre a condução dos processos. Por isso, nós pedimos à nação, e em especial aos nossos irmãos em Cristo, muita cautela e serenidade, e que o desejo de justiça não nos torne injustos.
• sabemos que os gritos de “crucifica-o" são motivados, muitas vezes, por gente mal intencionada e isso pode nos trair e nos levar a julgamentos precipitados. Entendemos que condenar alguém, antes que todo o processo investigativo seja concluso, antes que se dê amplo direito de defesa, e antes que um tribunal dê sua sentença final, constitui um perigoso precedente para que quaisquer poderes, seja o Executivo, o Legislativo ou o Judiciário, excedam os seus limites constitucionais.
• exigimos respeito ao voto. Toda eleição é uma convocação e um embate entre eleitores, e o voto é o suporte da legitimidade. Se a escolha dos eleitores corre o risco de ser invalidada, tem de haver um processo segundo o ordenamento jurídico, logo, isso tem de ocorrer de forma isenta e sob o império da Lei. O mandato outorgado pelo povo, por meio do voto, não pode ser levianamente questionado.
• rejeitamos todo ódio. O ódio, constatado muitas vezes nos discursos de figuras públicas, incita a violência e isso, segundo a nossa fé, é diabólico e não pode ser admitido entre os que constituem a Igreja do Senhor Jesus em solo brasileiro. Cabe a todo cristão a tarefa de ter paz com todos, seja em serviço ao próximo, seja em tolerância com quem pensa diferente, sendo capaz de amar e interceder por seu oponente. Intercessão que, rogamos, seja feita por nossa nação.
• defendemos que as investigações devam continuar, que as provas sejam coletadas e os responsáveis sejam arguidos pelos tribunais, conforme o estabelecido nas leis brasileiras. Que não haja privilégios para qualquer pessoa investigada, independente de posição ou partido político.
• defendemos a democracia como valor inexorável da Nação e não aceitaremos que nada possa interferir no Estado de Direito. Queremos que a institucionalização seja observada e que prevaleça a serenidade necessária para que o estado democrático seja preservado.
• reiteramos que "a voz" das ruas deve ser ouvida, mas o limite é a Constituição Brasileira. Cremos que todos devem ser investigados, mas dentro das garantias constitucionais. Que o voto e a escolha da maioria devem ser honrados, como reza a lei. Cabem às instituições, designadas democraticamente para tal, a garantia do Estado de Direito, a fim de que quaisquer cidadãos tenham seus direitos respeitados.
Para tanto permaneceremos em vigília e em orações.
Que o Senhor nos faça instrumentos da sua paz e da sua justiça.
RELAÇÃO DOS PASTORES QUE ASSINARAM O MANIFESTO A FAVOR DO LULA, DESCRITO ACIMA:


Abimael Alves
Ademir Jesus Moreira
Adriano Alves
Alan Jorge
Alberto Lins
Aldair Botelho Quintanilha
Aldo Anselmo Gallo
Alice Stroka Barollo
Álvaro B Correa Jr
Álvaro Parisi
Alvaro Zacarias
Amadeu Pupio Neto
Ana Carla Bezerra
Ana Maria Bazerque
Ana Paula Debastiani Vasco
Ana Paula Vasconcelos
Anderson dos Santos Oliveira
André Lima Botelho
Andrea Borba
Andressa Dias
Ariovaldo Ramos - FLAM / JOVENS DA VERDADE
Benjamim César
Caio Marçal
Calebe Ribeiro
Carlos Alberto Marchiorato
Carlos Queiróz 
Cássia Ferreira
Cassiano G de Mendonça
Christian Gillis
Christiano Reis
Christopher Marques
Cláudio Augusto Gonçalves
Clemir Fernandes
Daiane Carolina de Souza Lima
Daniel Silva Rodrigues de Souza
Daniel Teixeira
Danilo Lacerda
Davi Nogueira Guedes
Davi Nogueira Guedes
Diogo Sampaio
Disney Macedo
Douglas Lima
Ed René Kivitiz - IBAB - Igreja Batista da Água Branca
Edirlei Bueno de Campos
Edmilson Marques Dias
Ednilce Lins Rodrigues Duran
Edson Reigota Stanguini
Eduardo Carpenter
Elian Matos de Brito
Eliude Almeida da Silva
Emanoel Florêncio Mannô
Eudineia Bernardo
Fabiano Soares
Fábio Barbi
Fabio Pereira
Fagner Pereira dos Santos
Felipe de Souza Queres
Felipe Rodrigues Sousa
Felipe Vilela
Fellipe dos Anjos
Fernanda Vallim Martos
Fernando dos Santos de Souza
Filipe Santana Dornelas
Filippe Lizardo
Gean Felipe
Guilherme Arcanjo
Guilherme Burjack
Gustavo Galhardo
Gustavo Peres Ferreira
Helena Bertho
Humberto Alexandre Goveia

Inês Teixeira - Profa. da FLAM 
Ivan Leitão
Ivone Botelho - Idem/ FLAM - Faculdade Latino Am.M.I.
Jasiel Botelho - Missão Jovens da Verdade
Jean domingos
Jefferson Bezerra
Jênifer Rosa de Oliveira
João Helder Diniz
Jonas de Figueiredo
Jorge Meireles
José Barbosa Junior
José Diego Macedo de Souza
José Mário Gonçalves
Juneo Videira
Junior souza
Kleiner Eler De Moura
Leonardo de Amorim
Leonardo Pereira de Souza
Levi Araujo
Livan Chiroma
Lucas Nunes
Luciano Bruno
Luigi Amorim
Luiz Felipe Xavier
Luiz Mattos
Marcella Luzardo
Marcelo Santos
Marcio Cappelli
Marco Davi de Oliveira
Marcos Antônio da Silva e Silva
Marcos Leite
Marcos Paulo Pires
MarcosLeite
Marta Figueira Machado
Maxsoel silva
Miguel Adailton da Silva
Misael Trindade
Myrna Ramos Ribeiro
Nathan lima
Neil Barreto
Nilza Valeria Zacarias
Osmar Guerra
Osmar Valentim Gomes
Paulo Cappeleti - PALESTRANTE DA TMI
Poliana Schroer
Rafael dos Santos Sousa
Ramon Velasques
Remy Damasceno Lopes
Renan Mata
Renato Mendes de Oliveira
Renato Ruiz
Ricardo Bitun - ESQUERDISTA - PROF. MACKENZIE
Rita de Cassia Carvalho Paiola
Rita Paiola

Roberto Batista da Lima
Rodrigo Antonio de Paula e Silva
Rodrigo Lins
Rodrigo Moura
Ronaldo Lana
Samuel Murad
Sandra Marne
Silvana Bezerra C Magalhães
Silvana de Melo Brito
Sinval Jr.
Sueli Catarina de Carvalho
Tales Messias
Tamiris Cavalcanti Rós
Thiago Paiva
Thiago Torres
Tiago Alves
Uerlim da Silva Mendes
Uilian Corcino
Valter Ravara
Wallace de Góis Silva
Welinton Pereira
Leitura recomendada sobre TMI (Teologia da Missão Integral):
Leitura recomendada sobre a entidade Missão na Íntegra:
Sobre os protestos e crise brasileira:

Livro gratuito: http://bit.ly/11zFSqqNovo Testamento gratuito em mp3 dramatizado com música

Para fazer o download, siga este link:

http://juliosevero.blogspot.com/2012/12/novo-testamento-dramatizado-disponivel.html

domingo, 11 de fevereiro de 2018

PETITION, SIGN IT PLEASE: "Walgreens' new policy welcomes men into women's restrooms !

Walgreens' new policy welcomes men
into women's restrooms



THURSDAY, FEBRUARY 8, 2018 @ 1:23 PM
Walgreens' new policy welcomes men into women's restroomsWalgreens' new policy welcomes men into women's restrooms
In a shocking policy announcement, Walgreens has now directed its stores to
allow men full and unrestricted access to women's restrooms in all of its 8,100
stores.
On Nov. 17, 2017, Walgreens distributed this memo stating, "All individuals
have a right to use restroom facilities that correspond to the individual's gender
identity, regardless of the individual's sex assigned at birth."
The policy came as the result of being pressured by the ACLU of Southern
California.
Since a similar public policy was announced by Target Stores, Inc. two
years ago, 
dozens of women and children have been victimized by male
predators inside 
Target stores.
Walgreens' new policy could potentially result in female customers becoming
victims of voyeurism, sexual assault and physical attack.

1. Sign our petition urging Walgreens to immediately reverse its dangerous
policy that allows men unrestricted access into women's restrooms.
2. To make your voice heard even more, please call Walgreens' corporate
office
 at 1-800-925-4733 and share your concerns.
3. If you are a Walgreens' customer, let your local store manager hear from
you. You can find the local store number here.

domingo, 28 de janeiro de 2018

A quantidade de Professores Defendendo o Condenado LULA, Explica a Influencia Malefica de Paulo Freire na Educação

LUTAMOS POR UMA ESCOLA SEM PARTIDO E SEM IDEOLOGIA ALGUMA.

A QUANTIDADE DE PROFESSORES DEFENDENDO O CONDENADO LULA, EXPLICA PERFEITAMENTE A INFLUENCIA DO PAULO FREIRE COM AJUDA DO FHC, DILMA, LULA, PT E COMUNAS DE OUTROS PARTIDOS....LIXO, SIMPLESMENTE LIXO, PORÉM, NÃO PODEMOS INCLUIR OS BONS PROFESSORES QUE NÃO SE DEIXARAM INFLUENCIAR PELOS LIVROS DE PAULO FREIRE.

https://youtu.be/OsLHMA3EU0k




A Pedagogia crítica é uma filosofia educacional descrita por Henry Giroux como um "movimento educacional, guiado por paixão e princípio, para ajudar estudantes a desenvolverem consciência de liberdade, reconhecer tendências autoritárias, e conectar o conhecimento ao poder e à habilidade de tomar atitudes construtivas."[1]
Baseado na teoria marxista, a pedagogia crítica é ligada à democracia radical, o anarquismo, o feminismo, e outros movimentos que lutam pelo que descrevem como justiça social. Por isto que a Escola virou um local de proselitismo feito por muitos professores adeptos das ideologias acima.
pedagogista crítico Ira Shor, define pedagogia crítica como:
"Hábitos de pensamento, leitura, escrita e fala que vão além do significado superficial, primeiras impressões, mitos dominantes, pronunciamentos oficiais, clichês tradicionais, sabedoria recebida e meras opiniões, para entender o significado profundo, causas radicais, contexto social, ideologia e consequências pessoais de qualquer ação, evento, objeto, processo, organizações, experiência, texto, assunto subjetivo, política, mídia de massa ou discurso." ("Empowering Education", 129)
A Pedagogia Crítica inclui relações entre ensinar e aprender. Seus defensores afirmam que é um processo contínuo do que eles chamam de "desaprender, aprender, reaprender, refletir, avaliar", e do impacto que essas ações têm sobre os próprios alunos.

Anarquismo é uma ideologia política que se opõe a todo tipo de hierarquia e dominação, seja ela política, econômica, social ou cultural, como o Estado, o capitalismo, as instituições religiosas, o racismo e o patriarcado.[1] Através de uma análise crítica da dominação, o anarquismo pretende superar a ordem social na qual esta se faz presente através de um projeto construtivo baseado na defesa da autogestão,[1][2] tendo em vista a constituição de uma sociedade libertária baseada na cooperação e na ajuda mútua entre os indivíduos e onde estes possam associar-se livremente.[3][4

domingo, 14 de janeiro de 2018

Direitos gays: Ed René Kivitz versus Silas Malafaia - Quem você acha mais coerente com a Bíblia?

Direitos gays: Ed René Kivitz versus Silas Malafaia


Direitos gays: Ed René Kivitz versus Silas Malafaia

Teologia da Missão Integral versus conservadorismo evangélico

Julio Severo
Em audiência na Câmara dos Deputados na quinta-feira (25 de junho de 2015) para tratar do Estatuto da Família, o Pr. Silas Malafaiadestacou que família e casamento é apenas homem e mulher.
Silas Malafaia detonando os direitos gays
Ele também frisou que enquanto a Constituição só reconhecer essa noção de família, os ativistas homossexuais não terão base, nas minhas palavras, para exigir a desfiguração da família tradicional a fim de inventar uma família encabeçada por uma dupla de marmanjos depravados. Tal desfiguração é um componente essencial dos chamados “direitos gays.”
Referindo-se aos que se apoiam em Karl Marx para exigir tais direitos, Malafaia disse: “Por acaso Marx vale mais do que Jesus? A ideologia de Marx está no buraco e a de Jesus está em vento em popa.”
Para contra-atacar a presença e fala pró-família de Malafaia na Câmara dos Deputados, Carta Capital, uma das maiores mídias esquerdistas do Brasil, entrevistou vários pastores evangélicos da Teologia da Missão Integral (TMI).
Na entrevista, o Pr. Carlos Bezerra, que é líder do PSDB em São Paulo, disse que a ótica da bancada evangélica não é a ótica de Jesus. Ora, Bezerra já declarou publicamente que Leonardo Boff, um dos maiores promotores da Teologia da Libertação, é “um cara que me inspira há anos com o que escreve e prega.” Boff vê Jesus Cristo apenas como um office-boy da agenda marxista. Como Bezerra ousa dizer o que é a ótica de Jesus quando a ótica dele é a ótica de Boff e da TMI?
Bezerra deixou claro que ele não aceita que a bancada evangélica chame de ação cristã, presumivelmente, a ação de barrar os “direitos gays.” Concordo que às vezes a bancada evangélica erra. No ano passado, a Lei da Palmada, que pune pais que seguem a orientação da Bíblia sobre disciplina física dos filhos, foi aprovada com a ajuda dessa bancada, embora Marco Feliciano tenha se posicionado contra esse erro. Mas a bancada evangélica não erra quando tenta impedir o totalitarismo homossexual.
Outro entrevistado por Carta Capital, Levi Correa, faz parte da Igreja Batista da Água Branca do Kivitz. Levi disse sobre a Frente Parlamentar Evangélica: “A frente mais horrorosa que este país já teve.” Mas ele não estava se referindo ao papel horroroso da frente aprovando a Lei da Palmada. Ele se referia às ações da frente para impedir o avanço do totalitarismo homossexual.
Outra evangélica progressista entrevistada por Carta Capital atacou diretamente, dizendo que “o movimento conservador dita regras de forma impositiva.” Sobre o movimento homossexual, que dita regras e impõe uma agenda destrutiva para o Brasil, suas famílias e crianças, a evangélica progressista nada disse.
Defensor dos direitos gays
Outro entrevistado de destaque de Carta Capital foi o Pr. Ed René Kivitz, que disse: “Aquele que é detentor de um mandato eletivo não está lá para impor sobre a sociedade e sobre os cidadãos as suas crenças particulares, os seus interesses de grupo ou defender o seu segmento de sociedade que o colocou lá.”
Tudo o que Kivitz disse cai como uma luva em Jean Wyllys e outros políticos determinados a impor a agenda homossexual na sociedade. Entretanto, Carta Capital não o entrevistou para atacar a agenda gay, mas para atacar os líderes evangélicos que estão denunciando essa agenda.
Afinal, de que lado Kivitz está?
A resposta vem da BBC de Londres, que recentemente também entrevistou Kivitz, numa reportagem já com título de provocação aos evangélicos conservadores: “Tom ‘bélico’ de alguns líderes evangélicos cria clima propício à intolerância, diz pastor.”
A matéria da BBC reconheceu que Kivitz é um líder da Teologia da Missão Integral e também “a favor dos direitos LGBTs, por entender ‘que são cidadãos, independentemente da minha concordância com a orientação sexual ou a identidade de gênero que eles têm.’”
O que são direitos gays? Não é direito de viver, trabalhar, se sustentar e ter lazer. Como todo brasileiros, quem pratica o homossexualismo já tem esses direitos básicos garantidos.
Direitos gays é “casamento” gay, adoção de crianças por duplas gays, a proibição médica e bíblica de condenação ao estilo de vida homossexual, etc.
Para Kivitz, que declarou publicamente para a BBC que é a favor desses direitos, todos os cidadãos que escolheram as práticas homossexuais têm direito ao “casamento” gay, adoção de crianças por duplas gays, a proibição médica e bíblica de condenação ao estilo de vida homossexual, etc.
Basicamente, a opinião de Kivitz, que nunca criticou Jean Wyllys, é: O ativista homossexual que é detentor de um mandato eletivo está lá para impor sobre a sociedade e sobre os cidadãos as suas crenças particulares, os seus interesses de grupo ou defender o seu segmento de sociedade que o colocou lá.
Para os evangélicos, a história é outra: O evangélico que é detentor de um mandato eletivo não está lá para impor sobre a sociedade e sobre os cidadãos a agenda pró-família, as suas crenças particulares, os seus interesses de grupo ou defender o seu segmento de sociedade que o colocou lá.
Tenho certeza de que a Carta Capital e todo o seu público esquerdista aplaudiram de pé Kivitz e outros líderes da TMI que disseram exatamente o que Marx e seus seguidores diriam contra os evangélicos conservadores.
Na guerra cultural atual, cada vez que um evangélico tiver oportunidade de expressar uma opinião conservadora num grande espaço público, a mídia esquerdista escolheu como estratégia de contra-ataque dar vez e voz para líderes evangélicos da TMI.
Os sinais são muito fortes de que essa estratégia já está sendo implementada.
Em sua reportagem sobre a recente parada gay de São Paulo, o jornal Folha de S. Paulo destacou um pastor da TMI que foi ao evento homossexual para prestar solidariedade com uma campanha intitulada “Jesus Cura a Homofobia.” Danilo Fernandes, do tabloide Genizah e igualmente um defensor da TMI, foi um dos citados na matéria.
Prepare-se: Carta Capital, Folha de S. Paulo e outras grandes mídias esquerdistas estão agora usando evangélicos da TMI para tentar neutralizar a voz conservadora pró-família dos evangélicos.
Os seguidores de Jesus Cristo não têm a ótica de Karl Marx nem da TMI. Eles não pregam “direitos gays.” Eles pregam o Evangelho verdadeiro, que revela que Jesus salva, cura e liberta, inclusive do pecado homossexual.
Leitura recomendada:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...