COMO RECONHECER UM CRENTE/EVANGÉLICO?

Este é o nome de um artigo postado em blog brasileiro. Veja o que dizem de suas filhas e de vocês, irmãos e irmãs evangélicos. Conteúdo EXTREMAMENTE OFENSIVO, impróprio para menores de idade. Fica a pergunta: ONDE ESTÃO AS AUTORIDADES DESTE PAÍS? Maiores de idade cliquem aqui.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

'A gente cria filhos para o mundo, mas perder para a morte é dolorido', diz Elaine, mãe de dois rapazes que morreram na KISS !

Mãe de dois rapazes, mortos no incêndio da boate Kiss, visita Ana Maria, na TV Globo e dá um lindo testemunho. VALE A PENA ASSISTIR TODO O VÍDEO.

Depois de sua conversão á Cristo em 2000, a senhora Elaine Gonçalves que perdeu dois filhos no incêndio da Boate KISS em Santa Maria, Rio Grande do Sul, dá um lindo testemunho no programa de Ana Maria Braga, "Mais Você" na TV Globo.

Dona Elaine afirmou: “Não desmoronei e não perdi a vontade de viver. Não somos para sempre. A gente tem que saber que nada é para sempre. A gente cria filhos para o mundo. Só que perder para a morte é bem diferente. É muito dolorido. Tenho que ter forças para ajudar a minha outra filha”.

Veja a entrevista por completo no link:
http://tvg.globo.com/programas/mais-voce/O-programa/noticia/2013/02/a-gente-cria-filhos-para-o-mundo-mas-perder-para-a-morte-e-dolorido-diz-elaine.html

CFP tolera psicólogos gays do candomblé, mas hostiliza psicóloga cristã Marisa Lobo

Espalhem. Denunciem o CFP

CFP tolera psicólogos gays do candomblé, mas hostiliza psicóloga cristã Marisa Lobo. ASSINE PETIÇÃO A FAVOR DA Dra. Marisa Lobo, no link no final deste artigo.


O Conselho Federal de Psicologia (CFP) voltou a ameaçar a psicóloga Marisa Lobo para que ela remova as menções ao Cristianismo que ela mantém em suas redes sociais. A notificação, que foi enviada pelo CFP no último dia 22 de fevereiro, hostiliza diretamente a fé da Dra. Marisa, que demonstra em seus contatos virtuais seu apego a Jesus Cristo.

Psicólogos de outras religiões expressam publicamente sua fé em diversas divindades, sem maiores consequências. É o caso de Alberto Jorge Silva, presidente do Sindicato dos Psicólogos do Amazonas. Além de psicólogo, Alberto é sacedorte do candomblé, posto religioso que ele faz questão de ostentar publicamente nas redes sociais.


Alberto Jorge Silva, presidente do Sindicato dos Psicólogos do Amazonas.
Homossexual, ele é “casado” com outro homem gay adepto do candomblé.
Seu blog pessoal ostenta vídeos gays e até textos de Luiz Mott, considerado o líder máximo do movimento gay brasileiro e acusado de defender a pedofilia.

Pelo visto, o CFP não tem disposição de reagir contra as manifestações públicas a favor do homossexualismo e do candomblé feitas pelo presidente do Sindicato dos Psicólogos do Amazonas. Mas quando as manifestações de um psicólogo são cristãs, o CFP tem reações e histerias de sobra. Em entrevista ao Blog Julio Severo, Marisa Lobo desabafou: “Está muito claro que a vergonhosa perseguição que o CPF move contra mim é perseguição religiosa. Todos os psicólogos podem falar de sua fé, principalmente se esta fé for espirita e do candomblé. Somente a fé em Cristo não pode ser expressada sem que sejamos chamados de fanáticos e anti-profissionais”.
Ela frisa que as manifestações de psicólogos espíritas são abundantes: “Só a psicologia espirita tem mais de 1 milhão e 400 mil referências em redes sociais. Por que só eu tenho que tirar meu site? A perseguição do CFP contra mim é infantil, preconceituosa e burra”.

Fonte: www.juliosevero.com


ADENDO DA ADHT: Solicitamos a sua ajuda, assinando a PETIÇÃO a favor da Dra. Marisa Lobo aqui: http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoAssinar.aspx?pi=P2012N22763, para continuar a ter sua "liberdade de expressão" garantida pela nossa Constituição e que o CRP-PR (Conselho Regional de Psicologia do Paraná) e o CFP querem a todo custo impor sua ditadura fachista contra a Dra Marisa Lobo querendo fazer uso da Resolução CFP 01/99 que é um dos ENTULHOS ditatoriais imposto pelo CFP através de SETE Conselheiros que a fizeram e que nem Mestrado possuiam em Psicologia, em 1998/99 quando a elaboraram. ATENÇÃO PSICÓLOGOS: É necessário entrar também com um MANDADO JUDICIAL contra o CFP, veja exemplo aqui ! AJUDE-NOS A AJUDAR OS PSICOLOGOS contra este CFP cheio de Apologias e Politicagem. Já tem um modelo pronto no link: http://defesa-hetero.blogspot.com/2012/12/atencao-psicologos-e-necessario-entrar.html#.USvEp6VthJo , basta copiar e colar para o WORD e preenche-lo com seus dados. Não fique fora pois disse Montesquieu: "“A INJUSTIÇA FEITA A ‘UM’ É UMA AMEAÇA PARA ‘TODOS’”. PEDIDO: Escreva para o CRP-PR ( Conselho Regional de Psicologia) do Paraná, solicitando a eles que parem de perseguir a Dra. Marisa Lobo por causa de ela ser cristã, uma vez que ela jamais misturou sua profissão de Psicóloga com a fé que professa. É direito dela usar qualquer adjetivo ao seu nome, como fazem os gays e outras pessoas. Por que uns podem e sómente os psicólogos não podem? Isto vai contra o artigo V da nossa Constituição que diz claramente que todos tem liberdade de professar a religião que quiser. Abaixo a Resolução CFP 01/99 que estão querendo usá-la porque a Dra. Marisa Lobo tem tido argumentos convincentes contra a prática homossexual. ESCREVA URGENTE PARA ELES. O email dele é :diretoria08@crppr.org.br; com cópia para federal@pol.org.br; cotec4@bol.org.br.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

ATENÇÃO PAIS: Não deixem seus FILHOS verem estas SUJIDADES. E não vejam TAMBÉM !

Foco Cristão: 1).A mídia já vem homossexualizando a sociedade há um bom tempo. Como nas novelas, onde os "casais" gays eram mostrados como exemplo de amizade e relacionamento.

Eles não se beijavam e nada, mas eram mostrados como exemplo de relacionamento.

Como no caso dos atores Lui Mendes e André Gonçalves vivendo um relacionamento na novela "A Próxima Vítima"
http://youtu.be/EtCFqFTtW2c


2).Estrela Polar vai protagonizar primeiro casamento gay da Marvel Herói da Tropa Alfa, atualmente no X-Men, foi o primeiro dos quadrinhos a assumir homossexualidade


Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cultura/super-herois-gays-geram-polemica-aquecem-vendas-do-mercado-de-hqs-5137947#ixzz2M9V4kiQo

3).Super-heróis gays geram polêmica e aquecem vendas do mercado de HQs Criado há 72 anos, Lanterna Verde assume sua homossexualidade em quadrinhos.

VERDADEIRA APOLOGIA AOS CRIMES DE ABUSO SEXUAL, PERCEBA: "Um GAY ADULTO beija um ADOLESCENTE:



QUAL VOCÊ IMAGINA QUE SERÁ O PRÓXIMO PASSO DOS ATIVISTAS GAYS? LÓGICO, DESCRIMINALIZAR A PEDOFILIA. ESTEJA CERTO !

Leia mais sobre esses assuntos em http://oglobo.globo.com/cultura/estrela-polar-vai-protagonizar-primeiro-casamento-gay-da-marvel-4971081#ixzz2M9UAem4T

VEJAM A JOGADA SUJA DA MÍDIA ENALTECENDO O HOMOSSEXUALISMO !

É em HQ. Vem mais por ai segundo links na própria página
Foco Cristão: http://oglobo.globo.com/cultura/estrela-polar-vai-protagonizar-primeiro-casamento-gay-da-marvel-4971081

Foco Cristão: Pelo jeito está dando lucro:
http://oglobo.globo.com/cultura/super-herois-gays-geram-polemica-aquecem-vendas-do-mercado-de-hqs-5137947

Foco Cristão: A mídia já vem homossexualizando a sociedade há um bom tempo. Como nas novelas, onde o "casal" gay eram mostrados como exemplo de amizade e relacionamento.

Foco Cristão: Eles não se beijavam e nada, mas eram mostrados como exemplo de relacionamento.

Foco Cristão: Como no caso dos atores Lui Mendes e André Gonçalves vivendo um relacionamento na novela "A Próxima Vítima"
Foco Cristão: http://youtu.be/EtCFqFTtW2c

Foco Cristão: http://blogdopejota.files.wordpress.com/2011/12/sandro-e-jeff.jpg
Foco Cristão: Eles relatam relacionamentos homossexuais como exemplos de relacionamentos. Enquanto, os relacionamentos heteros são cheios de promiscuidade, traições, brigas, golpes, crimes, etc


SUGESTÃO: Desligue sua TV, não assista estes lixos de novelas. Minha esposa, hoje com 58 anos, deixou de ver novelas e nunca vimos filmes com cenas de sexo, de violência. Qualquer filme que mal começam cenas assim, um de nós já muda imediatamente ou desliga a TV. CONVIDO A TODOS A FAZEREM UM JEJUM DA TV E VÍDEOS (QUE NÃO SEJAM CRISTÃOS) E DEPOIS VEJAM O QUANTO VÃO SE SENTIR MELHOR. Conselho de um pastor idoso de 40 anos de ministério.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

ATENÇÃO PAIS: Homossexualização de crianças através de Vídeo-Games

Dois personagens: Wolverine e Hércules vivem uma história gay montada em quadrinhos


Conforme informa o Jornal o Globo, os Personagens vão se beijar na boca na edição número 10 do joguinho 'X-Treme e X-Men'

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cultura/wolverine-hercules-protagonizam-nova-historia-gay-dos-quadrinhos-7679742#ixzz2M3RmzBHv

ATENÇÃO PAIS: Estejam atentos sobre o que seus filhos veem na TV, em desenhos animados, em joguinhos de vídeo-games, etc. Lembrem-se que estamos vivendo o "tempo do Fim" pois Cristo disse que a iniquidade aumentará nos dias que precederiam sua volta.

Já estamos nestes dias ! Olhem para o Evangelho de Lucas, Capítulo 21, dos versos 6 em diante, nos textos relacionados de Mateus e Marcos e bem como em outros textos bíblicos como as cartas de Paulo e o Apocalipse

CUIDEM BEM DE SEUS FILHOS PARA QUE NENHUM DELES SE PERCAM !

A FARSA DOS ATIVISTAS GAYS: Acusar os cristãos de incentivarem a homofóbia

COMENTÁRIOS RECEBIDO DO BLOG NOTÍCIAS GOSPEL: PRIMEIRO: Infelizmente a maioria do povo alienado por BBB , fazendas, JN, etc não consegue analisar os graves fatos ocorridos neste curto espaço de tempo.

Ocorre que há uma ação meticulosamente coordenada para fomentar uma guerra contra o cristianismo e/ou valores conservadores de qualquer natureza, baseada em dialética de falsos argumentos. Criaram uma palavra homofobia para simplesmente criminalizar qualquer pessoa que tenha ideologia ou filosofia contrária, e assim criminalizar a opinião, impedindo-a completamente.

Veja bem, o crime não é mais agressão nem ofensa e sim o PENSAMENTO CONTRÁRIO!

O que é criminalizar pensamentos contrários se não ditadura comunista? A situação é gravíssima! Toda a notícia é sempre colocada de forma a apoiar o lado comunista, formando assim uma visão deturpada na opinião popular conseguindo assim aprovar estas leis que terão consequências terríveis, de ordem clara comunista marxista para destruir a família e os valores familiares.

O estado determinar como você deve pensar e criminalizar opinião contrária.Em breve será impossível ensinar valores, até mesmo dentro de sua própria casa.

Estes caras são muito inteligentes nesta técnica de manipulação. O que eles querem atingir com o tempo é a religião e os valores. Se conseguirem criminalizar opiniões? Mas e aí religião ensina aquela opinião? Qual será a consequência lógica?

Obvio: Criminalizar a religião que ensina.

Devemos anunciar a verdade enquanto é tempo. Ser o sal que conserva. …

Devemos nos opor ao comunismo, e eu digo em suas idéias que já estão sendo aceitas pelo povo incauto. Ser a luz que mostra a verdade.

Esclarecer o máximo de pessoas que pudermos, a fazerem o mesmo. Ainda há tempo de impedir a implantação deste sistema terrível e assassino.

A alegação de que as afirmações do silas no programa gera violência é ridícula!!

Absurda! Infelizmente que tem tapado que acredita nesta cambada de SAFADOS!

Quantos crimes(assassinatos de gays por homofobia) ocorreram naquela noite???

O silas sempre fala as mesmas coisas… agora… quantas pessoas da congregação dele saíram matando gays?? NENHUMA!

Agora certamente que depois que a PL122 for aprovada.. os gays vão poder passar a mão em qualquer um na rua… e se apanhar é homofobia!!!


3. AGORA VEJA AGORA UM COMENTÁRIO DE UM POSSÍVEL ATEU ESQUERDISTA: From: Anônimo [mailto:noreply-comment@blogger.com]
Sent: Tuesday, February 26, 2013 10:34 AM
To: defesa_hetero@yahoo.com
Subject: [ADHT: DefesaHetero.org] Novo comentário em Como reconhecer um evangélico*? É fácil, segundo a....

Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Como reconhecer um evangélico*? É fácil, segundo a...":

Evangélicos.... Bom Dia... Com todo respeito.. deixem os gays em paz. Eu conheço vários e não entendo esta guerra que vcs estão armando contra eles.. coitados.. já sofrem bastante e vocês ainda querem maltratar os coitados....


Publicar
-----> ELE FOI PUBLICADO no link acima. Clique no SUBJET.
Excluir
Marcar como spam


Moderar comentários para este blog.


Postado por Anônimo no blog ADHT: DefesaHetero.org em 26 de fevereiro de 2013 12:34

VEJA AGORA A RESPOSTA DO ADMINISTRADOR DO BLOG www.defesahetero.org : Rev. Alberto Thieme26 de fevereiro de 2013 14:08

Não costutamos postar comentários de ANONIMOS. Postamos devido sua ACUSAÇÃO FALSA. A tática usada no seu comentário é a mesma usada pelos Ativistas Gays: Acusam os evangélicos do que eles não estão praticando. QUEM está perseguindo os cristãos são os Ativistas Gays.

Não venha com esta história de que eles já sofrem e nós fazemos eles sofrerem mais: NINGUÉM É OBRIGADO A LER O QUE NÃO GOSTA, porém, NENHUM ATIVISTA GAY pode impedir nossa livre expressão. Quem diz que a HOMOSSEXUALIDADE é pecado é a própria Bíblia. Nós apenas repetimos o que está escrito há mais de 6.000 anos, meu caro anonimo que não teve coragem de se identificar.

E mais um importante detalhe: Por que viestes postar um assunto totalmente diferente deste aqui? Por acaso você é ateu e quer tentar usar esta tática para conseguir o apoio deles aos crimes que foram cometidos acima? A mentira tem perna curta, meu caro. Confira no link: http://defesa-hetero.blogspot.com/2012/09/como-reconhecer-um-evangelico-e-facil.html#.USzzTDC0KSo

Prof. Olavo de Carvalho DESMASCARA o Conselho de Psicologia pela perseguição á Dra.Marisa Lobo e fala sobre o 'LIVRO EX-GAYS" lançado nos EUA

O professor Olavo de Carvalho fala sobre uma pesquisa feita nos EUA, onde começa falando que é preciso rechar O Conselho Federal de Psicologia, conforme artigo escrito por ele, pedindo que "...fechem o CFP porque eles não estão capacitados.." e comenta que eles estão querendo cassar a credencial da Dra. Marisa Lobo porque ela pratica um negócio chamado "Psicologia Cristã" (porém, ela apenas criou um perfil com este nome. No escritório ela pratica a psicologia normal.

Porém, de qualquer forma Olavo de Carvalho diz: "...psicologia cristã é uma das correntes principais da Psicologia do século XX com nomes ilustres. Quer dizer, isto não é uma coisa que ela inventou. Não, isto faz parte da Psicologia do século XX.

E por falar nisso, provavelmente estes responsáveis do Conselho de Psicologia estão completamente despreparados, não para ser fiscais da Psicologia, mas para exercer a profissão. O professor chama-os ao desafio: "Ponha esses caras num debate e em cinco minutos, provo para vocês por A+B que eles não entendem M... nenhuma de Psicologia, como em todos os debates que eu entrei com o Sr. Alaor Café que defendeu o Marxismo e este senhor não conhece m... nenhuma de Marxismo, e assim por diante. O Prof. Olavo de Carvalho está postando no blog Mídia Sem Máscara a resposta que ele merece.

Diz o professor ainda que nos EUA foi feita uma pesquisa enorme, a mais séria, aplaudida por tudo quanto é psicólogo de todas as correntes sobre o livro : "EX-GAYS", o qual traz um pesquisa que atesta ser possível um homossexual deixar o homossexualismo. VEJA AGORA O VÍDEO COMPLETO : http://www.youtube.com/watch?v=qHgl-JV8GgI


IMPORTANTE: Não deixe de assinar a PETIÇÃO contra o CRP-PR e o CFP que estão querendo cassar a credencial de Dra. Marisa Lobo, sómente porque ela usa o título "PSICOLOGIA CRISTÃ" para se identificar nas redes sociais. É O CÚMULO DO ABSURDO, AMIGOS E IRMÃOS. Vamos assinar esta PETIÇÃO que se encontra no link: http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoAssinar.aspx?pi=P2012N22763

MAIS INFORMAÇÕES PODEM SER OBTIDAS NO link: http://defesa-hetero.blogspot.com/2013/02/assine-peticao-dra-marisa-lobo-volta.html#.USzflzC0KSo da ADHT.

Pastor Silas Malafaia anuncia que fará um dos programas 'mais quentes' que já fez. Vamos orar por ele e por esta importante fala!


Em seu site, o pastor Silas Malafaia anunciou que no próximo sábado (023), vai ao ar uma polêmica edição do seu programa de TV. De acordo com o pastor, esse seria o programa “mais quente” feito por ele em 30 anos no ar.

Entre os temas que serão abordados no programa, Malafaia afirmou que mostrará abertamente o seu imposto de renda, para desqualificar a reportagem da revista Forbes que o listou como um dos pastores mais ricos do país. Ele prometeu falar também sobre a retirada do abaixo-assinado em seu favor do site Avazz e sobre aborto.

- Vou colocar na tela o meu imposto de renda e dizer duas verdades que você precisa saber sobre isso, a fim de desqualificar a reportagem mentirosa da revista Forbes. Também vamos falar sobre a retirada do abaixo-assinado do site Avaaz e a cartilha do Ministério da Saúde que ensina a abortar. E por último, uma das coisas mais importantes. Um grupo de pastores quer arrumar problema para igreja evangélica no Brasil. – explicou o pastor.

- É importante você divulgar o máximo possível por todos os instrumentos que você tem para se comunicar. Tenha certeza, VAI SER QUENTÍSSIMO! – finalizou Malafaia.

O pastor divulgou o programa também através do Twitter, anunciando que, além de falar sobre seu imposto de renda, falaria também sobre “a intolerância dos gays que a imprensa não mostrou”.

- Atenção! Quentíssimo o programa do próximo sábado, meu imposto de renda na tela, e a intolerância dos gays que a imprensa não mostrou. Me ajude a divulgar o programa próximo sábado, a “chapa vai esquentar”, vários assuntos quentíssimos. Os críticos preconceituosos vão ranger. – publicou Malafaia.

As afirmações de Malafaia causaram um grande número de reações na rede social, que levaram a uma série de comentários do pastor sobre o assunto.

- Aí pessoal, já começaram a ranger antes da hora, não da para esperar até sábado? O preconceito contra evangélicos é gritante! Não vou me calar – respondeu Malafaia aos seus críticos.

- Atenção evangélicos! Querem nos tirar do processo democrático, não vamos cair nesta. Somos cidadãos e vão ter que nos aturar, goste ou não. – escreveu também o pastor.

Por Dan Martins, para o Gospel+

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Marina Silva amarela em questão de 'casamento' gay cobrada por Jean Wyllys


Julio Severo
A eleição presidencial de 2014 nem começou, e os embates políticos estão pegando fogo. Vários sites noticiosos, inclusive o Portal RIUS, destacaram o apoio velado de Marina Silva ao chamado “casamento” gay no último final de semana.

Tudo começou quando Marina, que é a fundadora do Rede Sustentabilidade, não gostou de uma tuitada do deputado federal Jean Wyllys, do PSOL do Rio. Na mensagem de Twitter, o deputado supremacista gay acusou-a de ser a favor de um plebiscito para o povo decidir a união civil gay no Brasil. Wyllys também a acusou de “velho conservadorismo”. Marina, que detesta ser chamada de “conservadora”, disparou: “Eu sou a favor que todos os brasileiros tenham os mesmos direitos. Essa questão não demanda plebiscito”.

Para não deixar nenhuma dúvida, em nota pública o Rede Sustentabilidade explicou: “Em nenhum momento Marina defendeu a realização de plebiscito sobre o casamento homoafetivo”.

“Homoafetivo” uma ova! Esse tipo de relação é simplesmente homoerótica. Homoafetividade é a relação normal de amizade e afeto entre um pai e seu filho e um homem e seu amigo, conforme mostra meu artigo “Sou Homoafetivo”.

Apesar da posição confundindo “homoafetividade” com homoerotismo, a ex-militante do PV, que luta para consolidar o Rede Sustentabilidade e se lançar candidata presidencial em 2014, aposta numa imagem “pró-vida”, torcendo para que o público se esqueça de que em 2010 ela foi criticada pelo movimento pró-vida por ter condenado a onda conservadora contrária ao aborto e ao homossexualismo que se levantou na eleição presidencial daquele ano.

O problema desta semana surgiu quando ela foi criticada por defender a realização de plebiscitos populares para decidir a regulamentação da utilização de drogas como a maconha e até para decidir o aborto — posição não diferente de alguns setores evangélicos. Foi aí que Jean Wyllys entrou na briga, afirmando que o novo partido de Marina faria um plebiscito sobre “casamento gay”.

Para o socialista gay, a socialista verde deixou claro: A questão do “casamento” gay não pode ser decidida em plebiscito.

Wyllys pode, pois, descansar tranquilo. Marina não negocia valores para ela inegociáveis, inclusive meio-ambiente e “casamento” gay. Podem colocar em plebiscito aborto e drogas, mas aquelas duas questões sagradas, jamais.

Não sei o que mais pesa nesses valores. O passado dela como militante comunista, ou seus conselheiros espirituais: o ex-católico Leonardo Boff e o ex-presbiteriano Caio Fábio.

Seja como for, a imagem “pró-vida” não cai bem nela. O título de “conservadora” (alguém que se opõe à cultura da morte em sua totalidade) lhe cai muito pior, pois o histórico dela nada tem a ver com conservadorismo.

Mesmo assim, os marqueteiros e estrategistas de Marina estão trabalhando duro para vender a imagem dela como “pró-vida” entre cristãos desavisados. E entre evangélicos, alguns líderes fazem questão de promover a imagem de uma Marina piedosa. Na eleição presidencial passada, a líder neopentecostal Valnice Milhomens tentou fazer propaganda dessa imagem no púlpito de uma igreja, mas foi cortada pelo Apóstolo Hudson Teixeira, um líder neopentecostal internacional, que pontuou que púlpito não era lugar para propaganda eleitoral gratuita.

Por que não usam nos púlpitos a imagem dela como militante comunista? Não. Preferem o quadro da Marina (supostamente) piedosa.

Ouvi dizer que ela estava, tempos atrás, dando aulas de escola dominical numa igreja Assembleia de Deus em Brasília. Se for da mesma denominação do bispo Manoel Ferreira, o amigo do Rev. Moon, não é de assustar ninguém. Mas se não for, o pastor dessa igreja deveria ter seu registro pastoral cassado e, como castigo, sentar no banco para ouvir o Evangelho. Para Marina, deveriam dar a escolha: sentar no banco para conhecer o verdadeiro Evangelho, ou apodrecer no falso evangelho de Leonardo Boff e Caio Fábio. Mas desgraçadamente, para ela, a Teologia da Libertação é o único “evangelho” da vida dela, conforme documentado neste vídeo de Caio Fábio:http://www.youtube.com/watch?v=ZGvsIXajiVs&feature=youtu.be

Questões como “casamento” gay e aborto são, para os seguidores de Jesus Cristo, inegociáveis. Quer o nazismo ou o comunismo imponham esses valores estatais sobre a sociedade, a defesa do verdadeiro casamento e da vida é missão do cristão. Ele não defenderia o tal “casamento” gay, ou adoção de crianças por duplas gays, ou o aborto nem que isso lhe custasse a vida.

Evidentemente, os valores inegociáveis de um militante de ideologia marxista não são os mesmos valores inegociáveis de um seguidor de Jesus Cristo.

Se Jean Wyllys tivesse tido um confronto comigo ou outro cristão conservador, seria muito fácil responder: “Defendo o casamento normal e o ‘casamento’ gay é contra a família natural”.

De forma igual, é muito fácil dar uma resposta sobre pedofilia ou adoção de crianças por duplas gays.
É fácil e simples.

Simples porque o cristão não tem ideologias e mestres estranhos a quem agradar. Para o cristão verdadeiro, estando ele atuando na política ou não, só há um Mestre a quem servir. Na política, ele faz como Daniel e seus colegas Sadraque, Mesaque e Abednego: ele não se prostra diante dos ídolos estatais, ainda que se chamem aborto e “casamento” gay.

Entretanto, para Marina, não é tão simples assim. Apesar de sua fachada verde, ela nunca conseguiu ser menos vermelha do que cristã. E não dá para mudar isso da noite para o dia.

Fonte: www.juliosevero.com

ASSINE A PETIÇÃO em favor da Dra Marisa Lobo que volta a ser perseguida pelo Conselho de Psicologia

Conselho de Psicologia volta a ordenar que Marisa Lobo apague todas as referências de que é cristã; Processo de cassação é reaberto

Publicado por Tiago Chagas em 25 de fevereiro de 2013

O Conselho Federal de Psicologia (CFP) voltou a movimentar o processo administrativo contra a psicóloga Marisa Lobo em que cobra a retirada das menções à religião que a psicóloga mantém em suas redes sociais. A notificação foi enviada pelo Conselho no último dia 22/02.

O conflito entre Marisa Lobo e o CFP por causa da afirmação pública de fé por parte da psicóloga é antigo e vem se estendendo desde 2011. Agora, foram acrescentadas acusações de homofobia e racismo.

Num desabafo em vídeo publicado no Youtube, Marisa Lobo afirma que o CFP estaria agindo a partir de convicções ideológicas e políticas: “Vocês prostituíram a ética e a ciência da psicologia, trasformaram o conselho de psicologia em partido político ideológico Vocês não são deuses”.

Ao reforçar que irá processar o CFP na justiça comum por supostamente ter aceito denúncias de racismo e homofobia contra ela sem averiguar as acusações, e incluir essas acusações na ação administrativo em curso, Marisa Lobo voltou a dizer que a intenção do Conselho é usá-la como um meio para um objetivo maior.

“Vocês precisam da cabeça de alguém pra oferecer numa bandeja. Vocês precisam de alguém e me transformaram num bode expiatório porque vocês não vão conseguir cassar o Silas Malafaia”, disse a psicóloga.

Marisa Lobo apresenta no vídeo parte do conteúdo de algumas denúncias feitas contra ela, e afirma contundentemente que o CFP jamais poderá provar as acusações de homofobia, racismo ou de que exista algum caso de consultório onde induziu convicções religiosa ou orientações sexuais a pacientes. Ela ressalta também que boa parte do conteúdo usado no processo é produzido por perfis falsos, que provavelmente seriam usados para não incriminar os autores das denúncias.

A psicóloga ressalta ainda que a seu ver, existe uma mobilização para transformar cristãos em homofóbicos aos olhos da sociedade: “O Brasil não é homofóbico, não vamos aceitar esse rótulo, e vocês [CFP] não podem fazer isso comigo”.

Confira abaixo, a íntegra do pronunciamento de Marisa Lobo sobre o novo processo instaurado pelo CFP contra ela:

Parte 1 :
http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=gHxbag_tte0

Parte 2 http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=xBBGdbiehFE

Parte 3 http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=2Wdq1tgTtHw

Parte 4 http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=MAGU0uAww5I

O Gospel+ procurou o Conselho Federal de Psicologia para comentar as acusações contra a psicóloga Marisa Lobo, mas até o fechamento desta notícia o CFP não havia respondido ao nosso contato. Caso haja uma resposta iremos atualizar esta publicação com a posição da entidade.

Segundo informações apuradas pelo Gospel+, um grupo de centenas de manifestantes está preparando um protesto pacífico em frente ao Conselho Regional de Psicologia do Paraná. Segundo os protestantes a manifestação será em favor da liberdade religiosa e de Marisa Lobo.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

ADENDO ADHT:

Solicitamos a sua ajuda, assinando a PETIÇÃO a favor da Dra. Marisa Lobo aqui: http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoAssinar.aspx?pi=P2012N22763, para continuar a ter sua "liberdade de expressão" garantida pela nossa Constituição e que o CRP-PR (Conselho Regional de Psicologia do Paraná) e o CFP querem a todo custo impor sua ditadura fachista contra a Dra Marisa Lobo querendo fazer uso da Resolução CFP 01/99 que é um dos ENTULHOS ditatoriais imposto pelo CFP através de SETE Conselheiros que a fizeram e que nem Mestrado possuiam em Psicologia, em 1998/99 quando a elaboraram.

ATENÇÃO PSICÓLOGOS: É necessário entrar também com um MANDADO JUDICIAL contra o CFP, veja exemplo aqui ! AJUDE-NOS A AJUDAR OS PSICOLOGOS contra este CFP cheio de Apologias e Politicagem. Já tem um modelo pronto no link: http://defesa-hetero.blogspot.com/2012/12/atencao-psicologos-e-necessario-entrar.html#.USvEp6VthJo , basta copiar e colar para o WORD e preenche-lo com seus dados. Não fique fora pois disse Montesquieu: "“A INJUSTIÇA FEITA A ‘UM’ É UMA AMEAÇA PARA ‘TODOS’”.

PEDIDO: Escreva para o CRP-PR ( Conselho Regional de Psicologia) do Paraná, solicitando a eles que parem de perseguir a Dra. Marisa Lobo por causa de ela ser cristã, uma vez que ela jamais misturou sua profissão de Psicóloga com a fé que professa. É direito dela usar qualquer adjetivo ao seu nome, como fazem os gays e outras pessoas. Por que uns podem e sómente os psicólogos não podem? Isto vai contra o artigo V da nossa Constituição que diz claramente que todos tem liberdade de professar a religião que quiser. Abaixo a Resolução CFP 01/99 que estão querendo usá-la porque a Dra. Marisa Lobo tem tido argumentos convincentes contra a prática homossexual. ESCREVA URGENTE PARA ELES. O email dele é :diretoria08@crppr.org.br; com cópia para federal@pol.org.br; cotec4@bol.org.br.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Depois dessa...dá para acreditar em Petições da AVAAZ...! Eles não respeitam nem nossa Constituição!

Como em tudo com o que se envolve, o pastor Silas Malafaia é novamente alvo de uma polêmica envolvendo seu registro de psicólogo.

Em meio à batalha de abaixo-assinados, muitas opiniões a respeito do tema começam a surgir, e depoimentos passam a colorir o cenário da questão.

O jornal Folha de S. Paulo entrevistou o representante da ONG Avaaz no Brasil, Pedro Abramovay (foto), que é ex-secretário nacional de Justiça, sobre a retirada do ar do abaixo-assinado pró-Malafaia.

Segundo Abramovay, a decisão de retirar o abaixo-assinado o deixou satisfeito: “Mais de 77% da nossa comunidade votou para remover esta petição, e estamos muito orgulhosos dessa decisão democrática para rejeitar este tipo de lobby para continuar práticas homofóbicas”, disse.

A Folha revelou ainda que o Conselho Regional de Psicologia (CRP) do Rio de Janeiro não se envolverá com a polêmica, mas que já vem trabalhando em sigilo para investigar as acusações de homofobia contra Silas Malafaia, e que pretende divulgar uma “nota pública para falar sobre o tema ‘psicologia laica’”. Segundo o jornal, a assessoria de imprensa do CRO afirmou que “a ideia é não pessoalizar Silas Malafaia, mas se posicionar sobre o tema da psicologia e religião”.

Como parte da repercussão, o jornalista Reinaldo Azevedo, colunista da revista Veja, publicou extenso artigo sobre o assunto, criticando o representante da Avaaz e manifestando apoio a Silas Malafaia.

“Pedro Abramovay, ex-secretário nacional de Justiça e defenestrado por Dilma da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas porque defendeu a não prisão de “pequenos traficantes” (???), é agora “diretor de campanhas”, no Brasil, da Avaaz, uma entidade internacional de petições online [...]E eu não me alinho com ele por uma penca de motivos. Gosto de clareza e rejeito gente que faz tráfico de ideias. Acho que este rapaz é partidário do totalitarismo ilustrado”, escreveu o jornalista.

Azevedo pontua ainda que embora discorde de ideias do pastor Silas Malafaia, preza pelo direito de expressão e pela essência da democracia: “Malafaia tem algumas opiniões que, de modo absoluto e irrecorrível, não coincidem com as minhas. E, evidentemente, concordamos em muita coisa [...] Eu não aprovo, não endosso nem defendo o trabalho de psicólogos que se dedicam a reorientar a sexualidade de seus pacientes. Proibir, no entanto, que psicólogos atuem na “reorientação” junto àqueles que, voluntariamente, queiram se submeter a ela é uma violência antidemocrática, que fere a Constituição [...] Eu discordo de Silas Malafaia; eu discordo daqueles que acreditam na reorientação de homossexuais, mas me parece absurdo que um conselho profissional queira se imiscuir, desse modo, na relação entre paciente e psicólogo. Não existe isso em nenhum lugar do mundo!”.

O jornalista, que é católico, afirmou ainda que a respeito do abaixo-assinado pró-Malafaia, “teria assinado com gosto se tivesse sabido a tempo, mesmo discordando radicalmente dele nesse particular”.

Confira abaixo, a íntegra do artigo de Reinaldo Azevedo na Veja:

Caros leitores, vai um texto longo. Mas prestem muita atenção porque ele trata de uma questão cada vez mais relevante no Brasil: a qualidade da nossa democracia, que está sendo assaltada pelos capitães do mato do politicamente correto

Não, eu não sabia que Pedro Abramovay, ex-secretário nacional de Justiça e defenestrado por Dilma da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas porque defendeu a não prisão de “pequenos traficantes” (???), é agora “diretor de campanhas”, no Brasil, da Avaaz, uma entidade internacional de petições online. A campanha mais bem-sucedida do grupo é a que pede o impeachment do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Eu mesmo publiquei aqui muitos posts a respeito, com link para a petição. É evidente que a gente pode ser contra a permanência de Renan na presidência do Senado sem precisar se alinhar com Pedro Abramovay. E eu não me alinho com ele por uma penca de motivos. Gosto de clareza e rejeito gente que faz tráfico de ideias. Acho que este rapaz é partidário do totalitarismo ilustrado. E vou dizer, mais uma vez, por quê — há um motivo novo, estupefaciente! Entendo, agora com mais detalhes, por que a petição contra Renan penetrou tão facilmente nos grandes veículos. O moço tem “contatos na mídia” — mais do que muitos imaginam. Sabe ser “de confiança” para a esquerda e para setores do que já se chegou a chamar “direita”. É um bico doce! Bem, resta uma conclusão neste primeiro parágrafo: se Abramovay é um dos comandantes da Avaaz, isso quer dizer que parte da pressão para derrubar Renan Calheiros — ainda que isso possa ser justo — parte do próprio… PT! Não, isso não me fará apoiar Renan. Mas convém não ser ingênuo. Se Abramovay é filiado ou não ao partido, isso é irrelevante. O fato é que se trata de um seu fiel servidor. A entidade que ele dirige fez um troço escandaloso. Ele não tem como se desmoralizar; a Avaaz, sim! Antes que entre no caso, um pouco mais de memória.

Abramovay ainda estava na Secretaria Nacional de Justiça e de malas prontas para se transferir para a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas quando concedeu uma entrevista ao Globo defendendo o fim da prisão para pequenos traficantes. Seus amigos tentaram negar que o tivesse feito. Fez. Dilma o demitiu — uma decisão correta; eu a apoiei então. Procurem nos arquivos e encontrarão. Esse moço é o inspirador de uma campanha que foi parar na televisão chamada “é preciso mudar”, que defende, na prática, a descriminação do consumo de drogas, ainda que tente edulcorar a proposta. Num tempo em que o país se vê às voltas com o flagelo do crack, os valentes acham que essa é um boca causa…

Não só isso. Abramovay também está entre aqueles que acham que o Brasil prende demais — os números demonstram que prende é de menos. Quando um surto de violência tomou conta de São Paulo, ele preferiu voltar as suas baterias contra o governo estadual, não contra os bandidos. É que ele era um dos divulgadores da tese — e disse isso em entrevista ao jornal O Globo (de novo!) — de que a taxa de homicídios no estado estava entre as mais baixas do país porque quem continha os assassinatos era o PCC… Também deixava entrever a suspeita de que haveria uma espécie de pacto entre a Secretaria de Segurança e o crime organizado. Como setores da imprensa afinados ideologicamente com ele lhe dão trela, a cobertura jornalística viveu um momento notavelmente esquizofrênico: de um lado, o governo do estado era acusado de patrocinar uma guerra cega contra os bandidos; de outro, era acusado de ter feito um pacto com eles. Em qualquer dos casos, quem apanhava era a polícia. Abramovay fez parte — e, em certa medida, foi seu articulador intelectual (dou crédito a quem merece!) — da campanha que resultou na queda de Antônio Ferreira Pinto, então secretário da Segurança Pública. Vejam que não acuso este rapaz de cometer crime nenhum. É possível alimentar ideias moralmente dolosas, pelas quais não se pode nem se deve ser punido. Mas o debate? Ah, esse tem de ser feito.

Vai acima uma pequena síntese das causas deste valente e de sua inegável influência na imprensa. Nem poderia ser diferente. Apareceu como um geniozinho do direito pelas mãos de Márcio Thomaz Bastos, aquele que era ministro da Justiça quando explodiu o caso do mensalão e que depois se tornou o advogado da fatia mais abastada, sem trocadilho, dos mensaleiros. Havendo alguma inverdade nesta breve síntese sobre o doutor sênior, ouvirei com cuidado. Mais: Abramovay é tido como gênio sem que precise demonstrá-lo. É porque dizem que é… Cadê a obra?

Vamos ao caso de agora

Todos conhecem o pastor Silas Malafaia. Ele é formado em psicologia e tem o devido registro profissional. Muito bem! Malafaia tem algumas opiniões que, de modo absoluto e irrecorrível, não coincidem com as minhas. E, evidentemente, concordamos em muita coisa. Destaco a concordância: ambos somos defensores radicais da liberdade de expressão e críticos severos do tal PLC 122 (a suposta lei anti-homofobia), que, se aprovado, pode mandar alguém para a cadeia por motivos meramente subjetivos. Já escrevi a respeito e não vou me alongar. E destaco uma das radicais discordâncias: Malafaia acredita que homossexuais possam ser reorientados — como deixou claro em recente entrevista a Marília Gabriela, que bombou no YouTube. Eu não acredito. As pessoas são o que são — e acho que permanece um mistério a causa. Acho, sim, que cada indivíduo pode disciplinar a sua sexualidade e, então, fazer escolhas. Assim, eu não aprovo, não endosso nem defendo o trabalho de psicólogos que se dedicam a reorientar a sexualidade de seus pacientes.

Proibir, no entanto, que psicólogos atuem na “reorientação” junto àqueles que, voluntariamente, queiram se submeter a ela é uma violência antidemocrática, que fere a Constituição. Já escrevi um longo texto a respeito. O Conselho Federal de Psicologia aprovou uma resolução no dia 22 de março de 1999. Há lá coisas corretas e de bom senso e alguns absurdos. Reproduzo em azul trecho daquele post, em que transcrevo o Artigo 3º:

(…)

“Art. 3° – os psicólogos não exercerão qualquer ação que favoreça a patologização de comportamentos ou práticas homoeróticas nem adotarão ação coercitiva tendente a orientar homossexuais para tratamentos não solicitados.”

Ora, isso é só bom senso. Quem poderá defender que alguém, no gozo pleno de suas faculdades mentais, possa ser submetido a um tratamento contra a sua vontade? Convenham: isso nem é matéria para um conselho profissional. Mas me parece evidente que a resolução avança o sinal e joga no lixo o Artigo 5º da Constituição quando determina, por exemplo, o que segue:

Parágrafo único – Os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que proponham tratamento e cura das homossexualidades.

Art. 4° – Os psicólogos não se pronunciarão, nem participarão de pronunciamentos públicos, nos meios de comunicação de massa, de modo a reforçar os preconceitos sociais existentes em relação aos homossexuais como portadores de qualquer desordem psíquica.

Qual é o principal problema desses óbices? Cria-se um “padrão” não definido na relação entre o psicólogo e a homossexualidade. Esses dois trechos são tão estupidamente subjetivos que se torna possível enquadrar um profissional — e puni-lo — com base no simples achismo, na mera opinião de um eventual adversário. Abrem-se as portas para a caça às bruxas. Digam-me cá: um psicólogo que resolvesse, sei lá, recomendar a abstinência sexual a um compulsivo (homo ou hétero) como forma de livrá-lo da infelicidade — já que as compulsões, segundo sei, tornam infelizes as pessoas —, poderia ou não ser enquadrado nesse texto? Um adversário intelectual não poderia acusá-lo de estar propondo “a cura”? Podemos ir mais longe: não se conhecem — ou o Conselho Federal já descobriu e não contou pra ninguém? — as causas da homossexualidade. Se um profissional chega a uma determinada terapia que homossexuais, voluntariamente, queiram experimentar, será o conselho a impedir? Com base em que evidência científica? Há uma diferença entre “verdade” e “consenso da maioria influente”. Ademais, parece-me evidente que proibir um profissional de emitir uma opinião valorativa constitui uma óbvia infração constitucional. Questões ligadas a comportamento não são um teorema de Pitágoras. Quem é que tem o “a²= b²+c²” da homossexualidade? A resolução é obviamente autoritária e própria de um tempo em que se impõe a censura em nome do bem.

Retomo

Caras e caros, estão percebendo o que distingue uma sociedade democrática de uma sociedade totalitária, que, nos tempos modernos, se impõe com as vestes da democracia? Eu discordo de Silas Malafaia; eu discordo daqueles que acreditam na reorientação de homossexuais, mas me parece absurdo que um conselho profissional queira se imiscuir, desse modo, na relação entre paciente e psicólogo. Não existe isso em nenhum lugar do mundo!!! “Ora, Reinaldo, a Organização Mundial de Saúde não considera a homossexualidade uma patologia…” E daí? Ter o nariz torto, grande demais, pequeno demais ou o queixo arrebitado não são patologias também. Mas as pessoas podem estar infelizes com isso. Há gente que sofre porque é bonita demais, rica demais, famosa demais, essas coisas que, à primeira vista, parecem desejáveis aos feios, aos pobres e aos anônimos… O mundo é complexo.

O que pretendem? Um Esquadrão do Psicologicamente Correto a invadir consultórios para saber se o profissional está fazendo o trabalho como deve? POR INCRÍVEL QUE PAREÇA, PRETENDEM, SIM, FAZER ALGO PARECIDO. E agora, finalmente, depois dessa longa explanação, chego a Pedro Abramovay.

Silas Malafaia e a Avaaz

Alguém lançou na página da Avaaz uma petição propondo a cassação do registro profissional de Silas Malafaia. Razão? As suas opiniões sobre a homossexualidade e a defesa que faz do que chama trabalho de “reorientação”. O próprio Conselho Federal de Psicologia já o ameaçou com isso, o que é, reitero, uma barbaridade. Debates assim não teriam a mínima chance de prosperar em países de cultura democrática consolidada.

Muito bem! No dia 9 deste mês, Ricardo Rocha lançou no mesmo site uma petição contra a cassação do registro. Ora, não é assim que as coisas devem funcionar? No escopo da democracia, alguns fazem petição a favor de terminadas causas, outras, contra. Pois bem: anteontem, aconteceu o que certamente a patrulha não esperava: os signatários favoráveis à manutenção do registro profissional de Malafaia (eu teria assinado com gosto se tivesse sabido a tempo, mesmo discordando radicalmente dele nesse particular) superaram, em número, os que queriam cassá-lo: 65.786 contra 55.000. E então se deu o ato indigno.

Ricardo Rocha, o criador da petição favorável à manutenção do registro de Malafaia, recebeu a seguinte mensagem da Avaaz, DIRIGIDA E DESMORALIZADA, NO BRASIL, por Pedro Abramovay (leiam com atenção!):

“Olá RICARDO

Obrigado por criar uma petição no site da Petições da Comunidade da Avaaz. Como está dito nos nossos Termos de Uso, nós somos uma comunidade não lucrativa baseada em valores e 100% financiada por pequenas doações de nossos membros. Como resultado, nós somos requeridos por lei e pela nossa comunidade a apenas promover campanhas que visam a nossa missão. Para ter a certeza de que estamos fazendo isso, nós enviamos petições para nossa comunidade todos os dias para pesquisar e checar se elas são apoiadas pela comunidade ou não.

Infelizmente, a maioria dos membros da Avaaz não apoiaram sua petição e, seguindo nossos Termos de Serviço, tivemos que removê-la de nosso site. Nós sentimos muito por isso e esperamos que isso não impeça sua participação ou criação de outras campanhas.

O texto da sua petição está abaixo desta mensagem. Você pode considerar recomeçá-lo num site comercial que não possui restrições legais sobre qual tipo de campanha eles podem promover como Care2.com, petitionsonline.com ou change.org.

Nossas sinceras desculpas,

A equipe da Avaaz”

Voltei

Ah, bom! Então tá!

Atenção, meus caros! A primeira petição não era “favorável aos gays”, mas a favor da cassação do registro profissional de Malafaia. A segunda petição não era “contra os gays”, mas contra a cassação daquele registro.

Quando a Avaaz diz que só faz campanhas que visam “à sua missão”, cabe perguntar: uma de suas missões é cassar registros profissionais de pessoas das quais a “comunidade do site” discorda? A entidade, cuja sede é nos EUA, tem uma página gigantesca em que expõe os termos de uso, as questões legais e coisa e tal. Ali está escrito que a direção pode, sim, consultando seus membros, retirar ou recusar petições — desde que elas ofendam, segundo entendi, os princípios gerais ali expostos.

Ora, se alguma transgressão existe aos fundamentos da Avaaz, ela está justamente na petição que demoniza Silas Malafaia. Trata-se de uma agressão dupla: à sua formação de psicólogo e à sua condição de pastor. Estamos diante de uma soma de intolerâncias. Estamos falando de pessoas que não conseguem conviver com a divergência.

Não sei como se comporta a Avaaz no resto do mundo. Vou tentar saber. O que é certo é que o Pedro Abramovay, o chefe de “campanhas” da entidade no Brasil, acaba de desmoralizá-la. Não duvidem: se os que querem cassar Malfaia tivessem ganhando de goleada, a outra petição não teria sido retirada. É que, no jogo de que Abramovay é “árbitro”, só um lado pode vencer.

Concluindo

O caso ilustra esta era do fascismo do consenso. Embora, como se demonstrou até o momento em que a petição foi retirada do ar, a maioria estivesse contra a cassação do registro de Silas Malafaia, ficou valendo a voz da minoria que quer puni-lo, numa agressão óbvia à Constituição. O consenso vira a voz da minoria! Assim, no Brasil, a Avaaz deixa de ser um site de petições que vocaliza a opinião da sociedade civil, como eles pretendem, para se transformar num grupo de pressão que tem uma agenda política.

Eu não esperava outra coisa de uma entidade comandada por Pedro Abramovay ou que o tem como “diretor de campanhas”.

“Ah, mas e a causa meritória contra Renan Calheiros?” Bem, trata-se apenas de um caso em que a virtude serve para ocultar os vícios.

Lamento! A Avaaz está desmoralizada. Enquanto Pedro Abramovay for seu “diretor de campanha”, este blog não mais reproduzirá as suas petições, ainda que sejam feitas contra o demônio… De algum modo, o rabudo estará se beneficiando. Este blog encontrará formas certamente mais sinceras — e democráticas — de se opor ao Coisa Ruim. De resto, não sou tolo e sei que o site pode muito bem sobreviver sem mim. Não vou coonestar totalitários em pele de cordeiro.

No Brasil, a Avaaz deixou de ser a voz da sociedade civil para ser a dona de uma agenda política, como é o petista, pouco importa se só de coração ou também de carteirinha, Pedro Abramovay. A democracia de um lado só é a forma mais virulenta de ditadura. E eu dou um pé simbólico no traseiro de ditadores desde os 14 anos. Na prática, Abramovay e a Avaaz, no Brasil, não são diferentes desses delinquentes políticos e intelectuais que saem por aí agredindo Yoani Sánchez. Há a uni-los a intolerância com a divergência.

Por Reinaldo Azevedo

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

ATENÇÃO AMIGOS do RIO DE JANEIRO : Dá para ter este cidadão de volta ao Congresso?

Dá para continuar suportando este CRISTOFÓBICO discriminando os cristãos, chamando-nos de HOMÓFÓBICOS e FUNDAMENTALISTAS RELIGIOSOS no sentido pejorativo da frase?

Se você acha que ele não deve continuar a ter este comportamento, escreva e telefone para o Presidente do Congresso Nacional e para os Deputados da Frente Parlamentar evangélica pedindo que abram uma CPI contra este deputado para que ele seja chamado pela Comissão de Éticada Câmara Federal. No link: http://defesa-hetero.blogspot.com/2012/07/relacao-de-emails-de-senadores.html#.USeaEqVthJo .

DEPUTADO DISCRIMINADOR, CALUNIADOR, DIFAMADOR, MENTIROSO, ETC DEVE CAIR FORA DO CONGRESSO. FAÇA SUA PARTE, ESCREVA E TELEFONE PARA O PRESIDENTE DO CONGRESSO E OS DEPUTADOS FEDERAIS DE SEU ESTADO, EXPRESSANDO SUA INDIGNAÇÃO PELAS ATITUDES DESTE PARLAMENTAR. Vamos agir!

VEJA A QUE PONTO ESTE INDIVÍDUO JÁ CHEGOU, DISCRIMINANDO OS EVANGÉLICOS E NOSSAS IGREJAS, no link: Deputados ativistas gays atacam os cristãos c/ajuda do Dep. Federal Jean Wyllys
http://www.youtube.com/watch?v=FOOFg_aG9Rw

Pr. SILAS MALAFAIA : VAMOS ASSINAR A PETIÇÃO. É inacreditável os Ditadores Gays do CRP-RJ estarem agindo em sigilo para processa-lo.

Conselho Regional de Psicologia estaria movendo processo sigiloso para cassação do registro profissional do pastor Silas Malafaia, diz jornal
Publicado por Tiago Chagas em 21 de fevereiro de 2013


O Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro está movendo um processo investigativo interno para avaliar se deve ou não cassar o registro profissional do pastor Silas Malafaia.

O processo, que corre sob sigilo, foi apurado e divulgado pela Folha de S. Paulo. Segundo o jornal, a pressão pela cassação do título de doutor de Silas Malafaia começou após declarações dele na entrevista concedida à jornalista Marília Gabriela no SBT.

Silas Malafaia se formou em psicologia numa faculdade particular do Rio de Janeiro em 2006, e embora tenha atendido algumas pessoas em seu consultório, no começo da carreira, resolveu parar de exercer a profissão.

O líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo disse ao jornal que nunca atendeu, como psicólogo, a homossexuais que desejam ser reorientados em seu comportamento sexual, mas que como pastor, os casos são muitos: “A fila é grande”, disse o pastor, que entende que a Bíblia Sagrada é o “maior manual de comportamento humano do mundo”.

O pastor afirmou ainda que processará Pedro Abramovay, representante da ONG Avaaz, por suas declarações de que o abaixo-assinado favorável a ele era “lobby para práticas homofóbicas”.

“Vai ter que provar que sou homofóbico. Vou lascar esse cara”, disse Malafaia, que classificou a atitude de Pedro Abramovay como “afronta à democracia”.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

ADENDO ADHT : "“A INJUSTIÇA FEITA A ‘UM’ É UMA AMEAÇA PARA ‘TODOS’” Montesquieu. Assine a Petição A FAVOR DO PR. SILAS MALAFAIA, URGENTE. Já deve estar próxima das 200.000 assinaturas. Esperamos pela sua, no link: http://abaixoassinado.vitoriaemcristo.org/_gutenweb/_site/gw-assinatura/ . Fraternalmente, Rev. Dr. Alberto Thieme".

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Reinaldo Azevedo, da VEJA, se posiciona a favor do Pr. Silas Malafaia !

Como em tudo com o que se envolve, o pastor Silas Malafaia é novamente alvo de uma polêmica envolvendo seu registro de psicólogo.

Em meio à batalha de abaixo-assinados, muitas opiniões a respeito do tema começam a surgir, e depoimentos passam a colorir o cenário da questão.

O jornal Folha de S. Paulo entrevistou o representante da ONG Avaaz no Brasil, Pedro Abramovay (foto), que é ex-secretário nacional de Justiça, sobre a retirada do ar do abaixo-assinado pró-Malafaia.

Segundo Abramovay, a decisão de retirar o abaixo-assinado o deixou satisfeito: “Mais de 77% da nossa comunidade votou para remover esta petição, e estamos muito orgulhosos dessa decisão democrática para rejeitar este tipo de lobby para continuar práticas homofóbicas”, disse.

A Folha revelou ainda que o Conselho Regional de Psicologia (CRP) do Rio de Janeiro não se envolverá com a polêmica, mas que já vem trabalhando em sigilo para investigar as acusações de homofobia contra Silas Malafaia, e que pretende divulgar uma “nota pública para falar sobre o tema ‘psicologia laica’”. Segundo o jornal, a assessoria de imprensa do CRO afirmou que “a ideia é não pessoalizar Silas Malafaia, mas se posicionar sobre o tema da psicologia e religião”.

Como parte da repercussão, o jornalista Reinaldo Azevedo, colunista da revista Veja, publicou extenso artigo sobre o assunto, criticando o representante da Avaaz e manifestando apoio a Silas Malafaia.

“Pedro Abramovay, ex-secretário nacional de Justiça e defenestrado por Dilma da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas porque defendeu a não prisão de “pequenos traficantes” (???), é agora “diretor de campanhas”, no Brasil, da Avaaz, uma entidade internacional de petições online [...]E eu não me alinho com ele por uma penca de motivos. Gosto de clareza e rejeito gente que faz tráfico de ideias. Acho que este rapaz é partidário do totalitarismo ilustrado”, escreveu o jornalista.

Azevedo pontua ainda que embora discorde de ideias do pastor Silas Malafaia, preza pelo direito de expressão e pela essência da democracia: “Malafaia tem algumas opiniões que, de modo absoluto e irrecorrível, não coincidem com as minhas. E, evidentemente, concordamos em muita coisa [...] Eu não aprovo, não endosso nem defendo o trabalho de psicólogos que se dedicam a reorientar a sexualidade de seus pacientes. Proibir, no entanto, que psicólogos atuem na “reorientação” junto àqueles que, voluntariamente, queiram se submeter a ela é uma violência antidemocrática, que fere a Constituição [...] Eu discordo de Silas Malafaia; eu discordo daqueles que acreditam na reorientação de homossexuais, mas me parece absurdo que um conselho profissional queira se imiscuir, desse modo, na relação entre paciente e psicólogo. Não existe isso em nenhum lugar do mundo!”.

O jornalista, que é católico, afirmou ainda que a respeito do abaixo-assinado pró-Malafaia, “teria assinado com gosto se tivesse sabido a tempo, mesmo discordando radicalmente dele nesse particular”.

Confira abaixo, a íntegra do artigo de Reinaldo Azevedo na Veja:

Caros leitores, vai um texto longo. Mas prestem muita atenção porque ele trata de uma questão cada vez mais relevante no Brasil: a qualidade da nossa democracia, que está sendo assaltada pelos capitães do mato do politicamente correto

Não, eu não sabia que Pedro Abramovay, ex-secretário nacional de Justiça e defenestrado por Dilma da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas porque defendeu a não prisão de “pequenos traficantes” (???), é agora “diretor de campanhas”, no Brasil, da Avaaz, uma entidade internacional de petições online. A campanha mais bem-sucedida do grupo é a que pede o impeachment do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Eu mesmo publiquei aqui muitos posts a respeito, com link para a petição. É evidente que a gente pode ser contra a permanência de Renan na presidência do Senado sem precisar se alinhar com Pedro Abramovay. E eu não me alinho com ele por uma penca de motivos. Gosto de clareza e rejeito gente que faz tráfico de ideias. Acho que este rapaz é partidário do totalitarismo ilustrado. E vou dizer, mais uma vez, por quê — há um motivo novo, estupefaciente! Entendo, agora com mais detalhes, por que a petição contra Renan penetrou tão facilmente nos grandes veículos. O moço tem “contatos na mídia” — mais do que muitos imaginam. Sabe ser “de confiança” para a esquerda e para setores do que já se chegou a chamar “direita”. É um bico doce! Bem, resta uma conclusão neste primeiro parágrafo: se Abramovay é um dos comandantes da Avaaz, isso quer dizer que parte da pressão para derrubar Renan Calheiros — ainda que isso possa ser justo — parte do próprio… PT! Não, isso não me fará apoiar Renan. Mas convém não ser ingênuo. Se Abramovay é filiado ou não ao partido, isso é irrelevante. O fato é que se trata de um seu fiel servidor. A entidade que ele dirige fez um troço escandaloso. Ele não tem como se desmoralizar; a Avaaz, sim! Antes que entre no caso, um pouco mais de memória.

Abramovay ainda estava na Secretaria Nacional de Justiça e de malas prontas para se transferir para a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas quando concedeu uma entrevista ao Globo defendendo o fim da prisão para pequenos traficantes. Seus amigos tentaram negar que o tivesse feito. Fez. Dilma o demitiu — uma decisão correta; eu a apoiei então. Procurem nos arquivos e encontrarão. Esse moço é o inspirador de uma campanha que foi parar na televisão chamada “é preciso mudar”, que defende, na prática, a descriminação do consumo de drogas, ainda que tente edulcorar a proposta. Num tempo em que o país se vê às voltas com o flagelo do crack, os valentes acham que essa é um boca causa…

Não só isso. Abramovay também está entre aqueles que acham que o Brasil prende demais — os números demonstram que prende é de menos. Quando um surto de violência tomou conta de São Paulo, ele preferiu voltar as suas baterias contra o governo estadual, não contra os bandidos. É que ele era um dos divulgadores da tese — e disse isso em entrevista ao jornal O Globo (de novo!) — de que a taxa de homicídios no estado estava entre as mais baixas do país porque quem continha os assassinatos era o PCC… Também deixava entrever a suspeita de que haveria uma espécie de pacto entre a Secretaria de Segurança e o crime organizado. Como setores da imprensa afinados ideologicamente com ele lhe dão trela, a cobertura jornalística viveu um momento notavelmente esquizofrênico: de um lado, o governo do estado era acusado de patrocinar uma guerra cega contra os bandidos; de outro, era acusado de ter feito um pacto com eles. Em qualquer dos casos, quem apanhava era a polícia. Abramovay fez parte — e, em certa medida, foi seu articulador intelectual (dou crédito a quem merece!) — da campanha que resultou na queda de Antônio Ferreira Pinto, então secretário da Segurança Pública. Vejam que não acuso este rapaz de cometer crime nenhum. É possível alimentar ideias moralmente dolosas, pelas quais não se pode nem se deve ser punido. Mas o debate? Ah, esse tem de ser feito.

Vai acima uma pequena síntese das causas deste valente e de sua inegável influência na imprensa. Nem poderia ser diferente. Apareceu como um geniozinho do direito pelas mãos de Márcio Thomaz Bastos, aquele que era ministro da Justiça quando explodiu o caso do mensalão e que depois se tornou o advogado da fatia mais abastada, sem trocadilho, dos mensaleiros. Havendo alguma inverdade nesta breve síntese sobre o doutor sênior, ouvirei com cuidado. Mais: Abramovay é tido como gênio sem que precise demonstrá-lo. É porque dizem que é… Cadê a obra?

Vamos ao caso de agora

Todos conhecem o pastor Silas Malafaia. Ele é formado em psicologia e tem o devido registro profissional. Muito bem! Malafaia tem algumas opiniões que, de modo absoluto e irrecorrível, não coincidem com as minhas. E, evidentemente, concordamos em muita coisa. Destaco a concordância: ambos somos defensores radicais da liberdade de expressão e críticos severos do tal PLC 122 (a suposta lei anti-homofobia), que, se aprovado, pode mandar alguém para a cadeia por motivos meramente subjetivos. Já escrevi a respeito e não vou me alongar. E destaco uma das radicais discordâncias: Malafaia acredita que homossexuais possam ser reorientados — como deixou claro em recente entrevista a Marília Gabriela, que bombou no YouTube. Eu não acredito. As pessoas são o que são — e acho que permanece um mistério a causa. Acho, sim, que cada indivíduo pode disciplinar a sua sexualidade e, então, fazer escolhas. Assim, eu não aprovo, não endosso nem defendo o trabalho de psicólogos que se dedicam a reorientar a sexualidade de seus pacientes.

Proibir, no entanto, que psicólogos atuem na “reorientação” junto àqueles que, voluntariamente, queiram se submeter a ela é uma violência antidemocrática, que fere a Constituição. Já escrevi um longo texto a respeito. O Conselho Federal de Psicologia aprovou uma resolução no dia 22 de março de 1999. Há lá coisas corretas e de bom senso e alguns absurdos. Reproduzo em azul trecho daquele post, em que transcrevo o Artigo 3º:

(…)

“Art. 3° – os psicólogos não exercerão qualquer ação que favoreça a patologização de comportamentos ou práticas homoeróticas nem adotarão ação coercitiva tendente a orientar homossexuais para tratamentos não solicitados.”

Ora, isso é só bom senso. Quem poderá defender que alguém, no gozo pleno de suas faculdades mentais, possa ser submetido a um tratamento contra a sua vontade? Convenham: isso nem é matéria para um conselho profissional. Mas me parece evidente que a resolução avança o sinal e joga no lixo o Artigo 5º da Constituição quando determina, por exemplo, o que segue:

Parágrafo único – Os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que proponham tratamento e cura das homossexualidades.

Art. 4° – Os psicólogos não se pronunciarão, nem participarão de pronunciamentos públicos, nos meios de comunicação de massa, de modo a reforçar os preconceitos sociais existentes em relação aos homossexuais como portadores de qualquer desordem psíquica.

Qual é o principal problema desses óbices? Cria-se um “padrão” não definido na relação entre o psicólogo e a homossexualidade. Esses dois trechos são tão estupidamente subjetivos que se torna possível enquadrar um profissional — e puni-lo — com base no simples achismo, na mera opinião de um eventual adversário. Abrem-se as portas para a caça às bruxas. Digam-me cá: um psicólogo que resolvesse, sei lá, recomendar a abstinência sexual a um compulsivo (homo ou hétero) como forma de livrá-lo da infelicidade — já que as compulsões, segundo sei, tornam infelizes as pessoas —, poderia ou não ser enquadrado nesse texto? Um adversário intelectual não poderia acusá-lo de estar propondo “a cura”? Podemos ir mais longe: não se conhecem — ou o Conselho Federal já descobriu e não contou pra ninguém? — as causas da homossexualidade. Se um profissional chega a uma determinada terapia que homossexuais, voluntariamente, queiram experimentar, será o conselho a impedir? Com base em que evidência científica? Há uma diferença entre “verdade” e “consenso da maioria influente”. Ademais, parece-me evidente que proibir um profissional de emitir uma opinião valorativa constitui uma óbvia infração constitucional. Questões ligadas a comportamento não são um teorema de Pitágoras. Quem é que tem o “a²= b²+c²” da homossexualidade? A resolução é obviamente autoritária e própria de um tempo em que se impõe a censura em nome do bem.

Retomo

Caras e caros, estão percebendo o que distingue uma sociedade democrática de uma sociedade totalitária, que, nos tempos modernos, se impõe com as vestes da democracia? Eu discordo de Silas Malafaia; eu discordo daqueles que acreditam na reorientação de homossexuais, mas me parece absurdo que um conselho profissional queira se imiscuir, desse modo, na relação entre paciente e psicólogo. Não existe isso em nenhum lugar do mundo!!! “Ora, Reinaldo, a Organização Mundial de Saúde não considera a homossexualidade uma patologia…” E daí? Ter o nariz torto, grande demais, pequeno demais ou o queixo arrebitado não são patologias também. Mas as pessoas podem estar infelizes com isso. Há gente que sofre porque é bonita demais, rica demais, famosa demais, essas coisas que, à primeira vista, parecem desejáveis aos feios, aos pobres e aos anônimos… O mundo é complexo.

O que pretendem? Um Esquadrão do Psicologicamente Correto a invadir consultórios para saber se o profissional está fazendo o trabalho como deve? POR INCRÍVEL QUE PAREÇA, PRETENDEM, SIM, FAZER ALGO PARECIDO. E agora, finalmente, depois dessa longa explanação, chego a Pedro Abramovay.

Silas Malafaia e a Avaaz

Alguém lançou na página da Avaaz uma petição propondo a cassação do registro profissional de Silas Malafaia. Razão? As suas opiniões sobre a homossexualidade e a defesa que faz do que chama trabalho de “reorientação”. O próprio Conselho Federal de Psicologia já o ameaçou com isso, o que é, reitero, uma barbaridade. Debates assim não teriam a mínima chance de prosperar em países de cultura democrática consolidada.

Muito bem! No dia 9 deste mês, Ricardo Rocha lançou no mesmo site uma petição contra a cassação do registro. Ora, não é assim que as coisas devem funcionar? No escopo da democracia, alguns fazem petição a favor de terminadas causas, outras, contra. Pois bem: anteontem, aconteceu o que certamente a patrulha não esperava: os signatários favoráveis à manutenção do registro profissional de Malafaia (eu teria assinado com gosto se tivesse sabido a tempo, mesmo discordando radicalmente dele nesse particular) superaram, em número, os que queriam cassá-lo: 65.786 contra 55.000. E então se deu o ato indigno.

Ricardo Rocha, o criador da petição favorável à manutenção do registro de Malafaia, recebeu a seguinte mensagem da Avaaz, DIRIGIDA E DESMORALIZADA, NO BRASIL, por Pedro Abramovay (leiam com atenção!):

“Olá RICARDO

Obrigado por criar uma petição no site da Petições da Comunidade da Avaaz. Como está dito nos nossos Termos de Uso, nós somos uma comunidade não lucrativa baseada em valores e 100% financiada por pequenas doações de nossos membros. Como resultado, nós somos requeridos por lei e pela nossa comunidade a apenas promover campanhas que visam a nossa missão. Para ter a certeza de que estamos fazendo isso, nós enviamos petições para nossa comunidade todos os dias para pesquisar e checar se elas são apoiadas pela comunidade ou não.

Infelizmente, a maioria dos membros da Avaaz não apoiaram sua petição e, seguindo nossos Termos de Serviço, tivemos que removê-la de nosso site. Nós sentimos muito por isso e esperamos que isso não impeça sua participação ou criação de outras campanhas.

O texto da sua petição está abaixo desta mensagem. Você pode considerar recomeçá-lo num site comercial que não possui restrições legais sobre qual tipo de campanha eles podem promover como Care2.com, petitionsonline.com ou change.org.

Nossas sinceras desculpas,

A equipe da Avaaz”

Voltei

Ah, bom! Então tá!

Atenção, meus caros! A primeira petição não era “favorável aos gays”, mas a favor da cassação do registro profissional de Malafaia. A segunda petição não era “contra os gays”, mas contra a cassação daquele registro.

Quando a Avaaz diz que só faz campanhas que visam “à sua missão”, cabe perguntar: uma de suas missões é cassar registros profissionais de pessoas das quais a “comunidade do site” discorda? A entidade, cuja sede é nos EUA, tem uma página gigantesca em que expõe os termos de uso, as questões legais e coisa e tal. Ali está escrito que a direção pode, sim, consultando seus membros, retirar ou recusar petições — desde que elas ofendam, segundo entendi, os princípios gerais ali expostos.

Ora, se alguma transgressão existe aos fundamentos da Avaaz, ela está justamente na petição que demoniza Silas Malafaia. Trata-se de uma agressão dupla: à sua formação de psicólogo e à sua condição de pastor. Estamos diante de uma soma de intolerâncias. Estamos falando de pessoas que não conseguem conviver com a divergência.

Não sei como se comporta a Avaaz no resto do mundo. Vou tentar saber. O que é certo é que o Pedro Abramovay, o chefe de “campanhas” da entidade no Brasil, acaba de desmoralizá-la. Não duvidem: se os que querem cassar Malfaia tivessem ganhando de goleada, a outra petição não teria sido retirada. É que, no jogo de que Abramovay é “árbitro”, só um lado pode vencer.

Concluindo

O caso ilustra esta era do fascismo do consenso. Embora, como se demonstrou até o momento em que a petição foi retirada do ar, a maioria estivesse contra a cassação do registro de Silas Malafaia, ficou valendo a voz da minoria que quer puni-lo, numa agressão óbvia à Constituição. O consenso vira a voz da minoria! Assim, no Brasil, a Avaaz deixa de ser um site de petições que vocaliza a opinião da sociedade civil, como eles pretendem, para se transformar num grupo de pressão que tem uma agenda política.

Eu não esperava outra coisa de uma entidade comandada por Pedro Abramovay ou que o tem como “diretor de campanhas”.

“Ah, mas e a causa meritória contra Renan Calheiros?” Bem, trata-se apenas de um caso em que a virtude serve para ocultar os vícios.

Lamento! A Avaaz está desmoralizada. Enquanto Pedro Abramovay for seu “diretor de campanha”, este blog não mais reproduzirá as suas petições, ainda que sejam feitas contra o demônio… De algum modo, o rabudo estará se beneficiando. Este blog encontrará formas certamente mais sinceras — e democráticas — de se opor ao Coisa Ruim. De resto, não sou tolo e sei que o site pode muito bem sobreviver sem mim. Não vou coonestar totalitários em pele de cordeiro.

No Brasil, a Avaaz deixou de ser a voz da sociedade civil para ser a dona de uma agenda política, como é o petista, pouco importa se só de coração ou também de carteirinha, Pedro Abramovay. A democracia de um lado só é a forma mais virulenta de ditadura. E eu dou um pé simbólico no traseiro de ditadores desde os 14 anos. Na prática, Abramovay e a Avaaz, no Brasil, não são diferentes desses delinquentes políticos e intelectuais que saem por aí agredindo Yoani Sánchez. Há a uni-los a intolerância com a divergência.

Por Reinaldo Azevedo

CFP do B, eis o meu nome! Conselho Federal de Psicologia apóia descaramente a AGENDA GAY !

CFP do B, eis o meu nome!

ESCRITO POR LUCIANO GARRIDO | 21 FEVEREIRO 2013

ARTIGOS - MOVIMENTO REVOLUCIONÁRIO

A crise de identidade pela qual atravessa o CFP é muito mais séria do que supõe a nossa vã psicologia. Ao invés de deitar no divã para repensar seus conceitos equivocados, o CFP prefere sair do armário e assumir esse seu ardente desejo de virar um sigla partidária. Essa tentativa de vincular opiniões pacíficas, embora contundentes, a atos de agressão, extermínio, exclusão, é um artifício que não convence, absolutamente.

Concebida como autarquia responsável pela fiscalização do exercício profissional dos psicólogos, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) relegou suas atribuições originais e passou a funcionar como simples órgão de agitação e propaganda ideológica, com ênfase especial no ativismo gay. Para quem não sabe, os órgãos de agitação e propaganda (agitprop) surgiram no mundo comunista como forma de aplicar a noção leninista de “guerra ideológica” aos movimentos políticos e sociais. Uma das principais funções da agitprop é precisamente fomentar o ativismo político e ideológico, que dissemina a mentalidade revolucionária entre as massas, abrindo caminho para a tão sonhada hegemonia cultural. Obediente à cartilha da agitprop, o CFP organiza manifestações públicas, promove passeatas, atos de protesto, apoia publicamente movimentos de índole revolucionária, financia eventos para homenagear companheiros de ideologia, presta solidariedade a intelectuais esquerdistas, terroristas e guerrilheiros, dá suporte institucional a minorias radicais, redige panfletos inflamados contra o sistema capitalista e a ordem estabelecida, solta notinhas de repúdio contra desafetos, intimida psicólogos dissidentes, entre outras exorbitâncias, todas elas patrocinadas com o dinheiro arrecadado compulsoriamente dos psicólogos. Ou seja, uma elite corporativa faz sua revolução de luxo e os psicólogos é que pagam a fatura.

Essa atuação clandestina do CFP já foi objeto de denúncia em outros artigos e até em representações públicas endereçadas ao Ministério Público Federal. O clima de agitação política dentro da autarquia avançou de forma tão desinibida que seus integrantes já beiram os limites da improbidade administrativa. E pior é que tudo corre às claras, registrado em farta documentação.

É cada dia mais ostensivo, por exemplo, o alinhamento político do CFP com organismos internacionais, fundações milionárias, ONGs, partidos políticos e uma vasta rede de entidades nacionais e estrangeiras, todos irmanados na consecução de um projeto de engenharia social em escala planetária. Isso pode ser comprovado não só pelos vínculos institucionais da autarquia, mas sobretudo pelo modo servil com que mimetiza o discurso produzido nesses grandes centros irradiadores do marxismo cultural. Itens como abortismo, gayzismo, multiculturalismo, feminismo, racialismo, eugenismo integram a agenda dessa elite globalista que, dentro da nova ordem mundial, adotou o colonialismo mental como forma de realizar sua distopia revolucionária.

De todos eles, é notória a simpatia que o CFP nutre pela militância gay. A fim de ilustrar essa afirmação, trago ao conhecimento do leitor a recente notícia publicada no site da autarquia (veja aqui), onde se apresenta uma nota de repúdio às declarações dadas pelo psicólogo Silas Malafaia no programa de entrevistas da jornalista Marília Gabriela.

Logo de saída, no subtítulo da notícia, o CFP se gaba de que 25 mil pessoas teriam “curtido” – provavelmente nas redes sociais – o teor geral do documento. Fazendo paródia com a frase memorável de Anatole France, é preciso lembrar ao CFP que quando 25 mil pessoas curtem uma besteira, ela não deixa de ser uma besteira.

Esse apelo do CFP à sedução dos números só atesta, a rigor, o cacoete demagógico com o qual a autarquia geralmente conduz seus pronunciamentos públicos. Neles, dificilmente haverá um esforço no sentido de promover um debate intelectualmente qualificado. Nada disso. O que se vê é a tentativa obstinada de arregimentar multidões em prol de suas bandeiras políticas, mesmo que, para isso, use o que resta da credibilidade profissional dos psicólogos. O negócio do CFP é conquistar corações, enquanto deixa as mentes entregues a mais absoluta vacuidade.

A prova disso é que, na referida nota, predomina uma linguagem retória apelativa, sem margem para considerações de caráter técnico ou científico.

É um desfile de lugares-comuns, frases de efeito, argumentos vazios e reclamos sentimentais. Fosse o documento redigido por sindicalistas ou líderes estudantis, o tom geral do discurso, embora igualmente deplorável, seria ao menos compreensível. Vindo de um ente estatal, mantido com verba pública, e cuja principal missão é salvaguardar a reputação profissional de toda uma classe, a coisa assume contornos verdadeiramente alarmantes.

Segundo a notinha publicada pelo CFP, o psicólogo Silas Malafaia... “agrediu a perspectiva dos Direitos Humanos a uma cultura de paz e de uma sociedade que contemple a diversidade e o respeito à livre orientação”. Afora a redação muito mal-ajambrada, algo recorrente nos documentos da autarquia, chama a atenção o uso espalhafatoso do verbo “agredir”, numa tentativa manjada de cobrir a figura do psicólogo com uma aura de violência e intolerância – falsa sob todos os aspectos, mas que predispõe o leitor a antipatias habituais.

Você deve estar se perguntando como é que uma pessoa, afinal, pode “agredir” os Direitos Humanos ou uma cultura de paz simplesmente por exercer o direito de emitir opiniões acerca de um determinado assunto. Seria a livre orientação sexual mais digna de respeito que a livre manifestação do pensamento? Uma sociedade que contempla a diversidade não é justamente aquela que respeita opiniões divergentes, ao invés de tentar criminalizá-las ou subtraí-las do debate público?

O CFP prossegue seu desarrazoado e acusa Malafaia de assumir “uma posição de retrocesso que chega a ser quase inquisitório (sic), colocando como vertentes do seu pensamento a exclusão e o preconceito na leitura dos Direitos Humanos.” Repare que o termo “inquisitório” não é algo banal.

Trata-se de mais um artifício retórico – bem chinfrim, é verdade – para deflagrar associações subconscientes na mente do leitor, uma vez que o psicólogo Malafaia é também pastor evangélico, e isso sempre foi boa ocasião para evocar preconceitos ancestrais.

No imaginário popular, tão frequentemente manipulado pelo CFP, termos como inquisitório sugerem a ideia de fanatismo, autoritarismo repressor, posições atávicas e medievalescas. A patifaria intelectual é de tal magnitude que o CFP não se sente minimamente constrangido a entrar no mérito dos argumentos e apontar com exatidão o alegado perfil inquisitório que vê nas posições defendidas pelo Malafaia. Como refutar argumentos nunca foi o forte do CFP, é mais fácil fornecer as senhas que prepararão um futuro linchamento moral ¹.

No terceiro parágrafo, de forma muito estranha, o CFP afirma que o psicólogo Malafaia... “se mostra contrário às bandeiras levantadas pela Psicologia”. Aqui, a expressão “bandeiras levantadas” só pode ser entendida como um tremendo ato-falho, pois revela de forma despudorada o impulso militante e o ativismo compulsivo, não só de quem redigiu a singela notinha, mas de toda camarilha filocomunista que se aboletou no CFP. Afinal, como pode um ramo do conhecimento acadêmico, que reclama para si o status de ciência, hastear bandeiras de natureza política? Qualquer ciência que tome partido em contendas políticas e ideológicas está condenada a perder sua isenção e credibilidade.

Por isso é que eu digo: a crise de identidade pela qual atravessa o CFP é muito mais séria do que supõe a nossa vã psicologia. Ao invés de deitar no divã para repensar seus conceitos equivocados, o CFP prefere sair do armário e assumir seu ardente desejo de virar um sigla partidária. E que ninguém se escandalize quando a autarquia aparecer por aí, nos cabarés da política nacional, alcunhada de “CFP do B”, porque prostituiu ciência e a profissão pelas quais deveria zelar.

As trapalhadas conceituais e as falácias argumentativas do CFP vão ainda mais longe. Ao ratificar ideias contidas na resolução nº 01/99, a nota afirma que “a homossexualidade não constitui doença, desvio ou perversão, posto que diferentes modos de exercício da sexualidade fazem parte das possibilidades da existência humana”. Temos aqui um exemplo típico de erro lógico chamado non sequitur, no qual a conclusão não segue a premissa. Incluir comportamentos no universo das possibilidades humanas, um modo diferente de exercício da sexualidade (ou do que quer que seja), não basta para situá-los dentro de uma escala valorativa em que conceitos como saúde ou doença, desvio ou ajustamento, perversão ou normalidade, podem ser postos em perspectiva.

Na rubrica dos “diferentes modos de exercício da sexualidade humana” também entram o bestialismo, o fetichismo, a coprofilia, o voyerismo, a pedofilia, o donjuanismo, a necrofilia, o onanismo, o sadomasoquismo e um punhado de outras manifestações bizarras do prazer sexual e do erotismo humanos. E aí? Será que não há critérios válidos para distingui-los? Somos obrigados agora a adotar o relativismo moral, metafísico e epistemológico do CFP, em que tudo se iguala no reino das possibilidades humanas?

No final das contas, a conclusão a que se chega é que o CFP não suporta opiniões que contrariem suas convicções ideológicas. Na nota, o CFP declara como princípio o “respeito à livre orientação sexual dos indivíduos”, ainda que o psicólogo, para atendê-lo, precise desrespeitar a liberdade de escolha daqueles que o procuram solicitando ajuda para modificar sua orientação sexual ².

A posição assumida pelo CFP, ao que parece, baseia-se na ideia de que o desejo sexual é o que há de mais irredutível no ser humano, devendo prevalecer sobre sua autonomia, consciência e aspirações pessoais. Ao afirmar que “é dever do profissional de Psicologia fornecer subsídios que levem à felicidade e o bem-estar das pessoas considerando sua orientação sexual”, o CFP parte do pressuposto de que somente a sexualidade (no caso, a homosssexual) é capaz de propiciar felicidade e bem-estar, sendo tudo mais mera perfumaria. Nesse hedonismo acachapante, não há espaço para dilemas ou contradições humanas, pois o ser humano é entendido a partir de uma perspectiva unidimensional.

A concepção de natureza humana que vigora na psicologia dos integrantes do CFP está fundada numa cosmologia essencialmente materialista. Ela segue uma tendência geral que, segundo o psicólogo católico Rudolf Allers, perverteu a mentalidade ocidental ao longo dos séculos, fazendo-a acreditar que “tudo o que é inferior, tudo o que se aproxima da natureza bruta, ou inclusive morta, é julgado como o mais verdadeiro, o mais natural e o mais importante”, e que “o inferior constitui o fundo e o centro da realidade, o que realmente importa, que buscá-lo é fazer um ato de ciência e que vivê-la é conformar-se às exigências mais verdadeiras da natureza humana”. É um tipo de psicologia em que predomina, nas palavras do próprio Allers, uma “a visão desde baixo”.

Portanto, se existem ações que podem ser consideradas como “extermínios de subjetividades indesejadas”, conforme afirma a nota, uma delas é precisamente essa louca pretensão do CFP de impor seu ideal de felicidade e bem-estar a todas as pessoas. Esse é a forma acabada de um pensamento totalitário que não se coaduna com o discurso pretensamente humanista que a autarquia tenta encampar. Como diz a música, “cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é”. Não cabe ao CFP, portanto, fazer política com o sofrimento alheio.

Por fim, essa tentativa de vincular opiniões pacíficas, embora contundentes, a atos de agressão, extermínio, exclusão, é um artifício que não convence absolutamente, nem mesmo àqueles homossexuais inteligentes e sinceros, que são capazes de entender que o sofrimento humano transcende o jogo dos interesses políticos, e que às vezes, a exemplo do que disse o filósofo Descartes, “mais vale derrotar os próprios desejos do que a ordem do mundo”.

¹ Já existe por aí um abaixo-assinado da militância gayzista pedindo a cassação do registro profissional do psicólogo Malafaia.

² A chamada “terapia reparativa” será tema de um próximo artigo.


LUCIANO GARRIDO é psicólogo e especialista em Diretos Humanos.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Veja as MARACUTAIS DA AVAAZ: Petição não é contra o Psicologo Silas Malafaia, mas sim contra o PASTOR Silas Malafaia.

20/2/2013

Percebe-se com clareza que mesmo o povo tendo tomado conhecimento da "safadeza Inescrupulosa" da AVAAZ algumas pessoas ainda continuam a assinar a Petição postada no blog de Petições da AVAAZ, pois mesmo depois de serem desmascarados pelo Pr. Silas Malafaia, a AVAAZ continuaPetição no ar.

Esta petição não pode continuar em vigor pois a grande maioria não está assinando a mesma para cancelar o registro do psicólogo Dr. Silas Malafaia, mas sim do Pastor Silas Malafaia, por suas posições e convicções religiosas e por ter sido dito ou entendido que o Pr. Silas Malafaia falou em nome de todos os evangélicos do Brasil.

Oras, por várias vezes o Pr. Silas Malafaia foi chamado a participar de discussões de Comissões de estudo de Projetos de Leis, no Congresso, Senado e outros departamentos de governos, como um representante dos evangélicos Brasileiros. Isto não significa que ele é o único representante dos evangélicos Brasileiros, mas com certeza, ele sempre fez um trabalho de excelência em suas preciosas falas a favor da Família e do Casamento Tradicionais, Contra o Aborto e Contra a Agenda e Ativismo Gay.

Sugerimos ao Pr. Silas Malafaia que faça valer seus direitos, na justiça, pois conforme artigo postado no link: http://defesa-hetero.blogspot.com/2013/02/veja-safadeza-inescrupulosa-do-site.html#.UST4ZaVthJo, onde o Pr. Silas mostra com clareza que a AVAAZ cancelou uma petição A FAVOR DELE, feita por um cristão evangélico para colher assinaturas de pessoas que não querem que novamente seja aplicado um ATO TOTALITÁRIO pelo CFP, como foi feito com a Dra. Rozangela Justino, em 2009, pelo CFP e CRP-RJ, o mesmo que acatou a DENUNCIA contra esta Doutora em Psicologia, indevidamente, há alguns anos atrás. Infelizmente, todos sabem que o Conselheiro do CRP-BA, Marcelo Navarro, da época, declarou-se ser homossexual assumido e como tal, vimos no vídeo de sua fala, o seu forte Ativismo a favor da AGENDA GAY. Confira aqui: http://www.youtube.com/watch?v=zb1Zl78_NnQ

Demonstrando claramente suas intenções de defesa da prática homossexual como fazem os CRPs (Conselhos Regionais de Psicologia) e o CFP ( Conselho Federal de Psicologia, a AVAAZ se alinha ao Ativismo Gay e continua a acolher uma denuncia contra o Pr. Silas Malafaia devido seu pronunciamento muito bem feito no programa da Marília Gabriela, porém, feito como Pastor e não psicólogo.

Veja no artigo do link abaixo, com clareza, as FORTES ACUSAÇÕES contra a AVAAZ e sua parcialidade da AVAAZ ao cancelar a PETIÇÃO A FAVOR DO Pr. Silas Malafaia, com desculpas esfarrapadas, porém, manter a outra PETIÇÃO CONTRA O PR. SILAS MALAFIA. Eu disse contra o Pastor e não o Psicologo Dr.Silas Malafaia.

Esta organização demonstra claramente que está de "rabo amarrado" com o Ativismo Gay e agora descobrimos muito mais sobre as IRREGULARIDADES DENUNCIADAS no link: http://ra-bugio.blogspot.com.br/2011/02/peticoes-da-avaaz-rendem-milhoes-de.html, postado por Germano Woehl Jr. às 12:20 de 05/02/2011. Isto é já há DOIS anos atrás a AVAAZ foi denunciada porém, poucos souberam da "Safadeza Inescrupulosa" da AVAAZ. Neste blog pode ver com clareza, que ela pertence a um americano que está ganhando milhões de dólares, engando os "menos avisados".

Deixo aqui um apelo para que todos que forneceram seu nome e email para a AVAAZ, retire-os o mais rápido possivel para evitar futuros problemas como documentado no link acima. Veja as DENUNCIAS sérias que foram postadas no lblog acima: http://ra-bugio.blogspot.com.br.

Por isto, tome cuidado, pois o melhor numa situação dessas é não ASSINAR PETIÇÃO ALGUMA se vier da AVAAZ.

Por Rev. Alberto Thieme

Dep. Marco Feliciano se posiciona a favor do Pr. Silas Malafaia e contra o CFP


Pressão do CFP ao Pr. Dr. Silas Malafaia

Posted by Marco Feliciano in Blog

Manifesto o meu mais veemente repúdio a atitude do Conselho Federal de Psicologia que tem engendrado maquinações que lembram a Inquisição na Idade média, palco do mais pérfido obscurantismo, tentando cassar o registro profissional do Psicólogo Dr. Silas Malafaia apenas por manifestação de ideias, contrária às dos atuais detentores do mando daquela prestigiosa entidade de classe.

O que se observa é que a direção desse conselho exerce uma espécie de ditadura da minoria, pois esse não é o que a maioria da classe de psicólogos pensa pelo contrário o queres vê são profissionais insatisfeitos com essa verdadeira castração intelectual de seus integrantes.

Espero ansioso que a Diretoria atual desses conselhos não se esqueça de que são passageiros nessa história e que o bem estar de toda uma categoria profissional é mais importante que vaidades de momento. Nessa Casa de Leis já houve embate entre a referida Diretoria e membros da classe com referencia aos mesmos motivos que agora leva o conselho a manifestar a intenção de punir o Dr Silas Malafaia, com concorrida audiência pública democrática e onde todos puderam se manifestar à vontade, ao contrário do modo como o referido conselho vem conduzindo o procedimento administrativo contra esse ilustre profissional.

Qualquer atitude que venha a ferir o direito de livre pensamento dos psicólogos registrados no conselho ensejará providencias nesta Casa, inclusive, com pedido de intervenção para que sejam assegurados os direitos universais inalienáveis.

Finalizo pedindo aos envolvidos que usem do bom senso e mostrem à Nação que vocês são exemplos a serem seguido, por se tratar de profissionais que operam na mais importante área da saúde que é a da mente, fazendo jus ao adágio “mens sana corpóre sano”.

Muito Obrigado!

ATENÇÃO: Não percam nesta QUINTA-FEIRA, Palestra Importantíssima !


Caro amigo e irmão,
Você já sabe que a guerra começou.
E os inimigos do cristianismo estão buscando, desenfreadamente, destruir a família.
Saiba mais!
Você tem ideia dos meios pelos quais estes inimigos se fortaleceram?
Sabe por que eles conseguiram espalhar pelo mundo a agenda homossexual e abortista, que corrompe a família?
Porque enquanto cresciam, significativamente, por todo o mundo, ideais contra a família e contra a Igreja, os cristãos se mantiveram indiferentes e dispersos.
Dispersos entre si, com a Igreja e com Deus.
Mas essa situação está mudando..
. No mundo inteiro, pessoas e associações começaram a perceber a gravidade e a agilidade com que ideais anti-cristãos influenciaram inúmeros países nos últimos anos...
...e estão se organizando para defender a família cristã.
É preciso afastar as crianças e os jovens de todos os males que assolam a família, para que aprendam, desde novos, a defender a verdade.

Nesta quinta-feira, dia 21 de Fevereiro compareça a conferência do IPCO.

Lá você poderá conhecer de perto como e com que deve lutar:

É preciso unir forças para lutar pela família cristã e impedir que esta seja difamada e hostilizada.
Você tem uma oportunidade única de conhecer pessoas que sofrem as mesmas ameaças que você e que estão buscando meios para se defender.
“É uma luta a vida do homem sobre a terra”, diz a Sagrada Escritura. E por mais que você já tenha batalhas constantes em sua vida...
NENHUMA pode trazer melhores frutos para sua alma, do que a defesa da verdade. Você verá que nada pode abalar aqueles que estão unidos a Deus.
Os inimigos não conseguirão desestabilizar a família brasileira!
Inscreva-se já!
Você poderá trocar ideias, saber mais detalhes sobre os movimentos que conservam os ensinamentos de Cristo.
Você não irá se arrepender e, pelo contrário, sairá de lá com a força e o apoio necessários.


Estejamos unidos!

Departamento de Campanhas
Instituto Plinio Corrêa de Oliveira www.ipco.org.br
P.S Nesta quinta-feira você tem uma oportunidade única para defender sua família a e o futuro dos seus filhos.
Faça já sua inscrição no link e compareça!

Diga 'NÃO' ao totalitarismo homossexualista que está contra Silas Malafaia. VEJA COMO...!

Por Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz

A notícia é espantosa.

Ouvi dizer que havia um abaixo-assinado solicitando a cassação do registro de psicólogo do Pastor Silas Malafaia por posicionar-se publicamente contra o homossexualismo. De fato, a petição existe e está na primeira página da AVAAZ (http://www.avaaz.org/po/petition/)

Ouvi também dizer (ver mensagem abaixo) que alguém havia feito um abaixo-assinado pela NÃO cassação do registro de psicólogo de Silas Malafaia.

Quando fui clicar no “link” indicado , eis que não encontrei mais o abaixo-assinado. Que houve?

Pesquisei e encontrei a resposta: a AVAAZ resolveu retirar do ar o abaixo-assinado em favor de Silas Malafaia! Eis o motivo alegado:
“Infelizmente, a maioria dos membros da Avaaz não apoiaram sua petição e, seguindo nossos Termos de Serviço, tivemos que removê-la de nosso site. Nós sentimos muito por isso e esperamos que isso não impeça sua participação ou criação de outras campanhas”. A retirada do ar teria ocorrido quando as assinaturas chegaram a 65 mil, um número que ultrapassa os 63.364 dos que votaram pela cassação.

Como reação, Silas Malafaia iniciou um novo abaixo-assinado contra a sua cassação, que pode ser visto em
http://abaixoassinado.vitoriaemcristo.org/_gutenweb/_site/gw-assinatura/

Eu já assinei. Assine você também a fim de que o Brasil não seja engolido pela tirania homossexualista.


Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:
Católico defende Silas Malafaia
Silas Malafaia é atacado pelos seguidores do “gigante”
Silas Malafaia e Julio Severo contra a Ditadura Gay

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Turquia quer resgatar crianças criadas por homossexuais fora do país

Por Julio Severo De acordo com a agência noticiosa EFE, o governo da Turquia iniciou uma campanha que visa resgatar crianças nascidas no país e que são criadas por casais não muçulmanos em países europeus, especialmente as duplas homossexuais.

De forma diferente, a Europa vê com muito maior preocupação o Cristianismo. Na semana passada, conforme a EFE, a Comissão de Direitos Humanos do Parlamento da União Europeia criticou o fato de mais de 5 mil crianças de origem turca serem criadas por famílias cristãs na Europa.

A preocupação prioritária da Turquia, porém, são crianças nas mãos de homossexuais. O caso mais emblemático, disse a EFE, é o de um menino que, após sua mãe turca perder sua custódia, foi entregue para uma dupla lésbica na Holanda.

“Não queremos que entreguem as crianças de famílias turcas a famílias homossexuais, de lésbicas, mas eles (em referência às autoridades europeias) não mostram respeito às sensibilidades de nossos cidadãos”, afirmou nesta segunda-feira o vice-primeiro-ministro da Turquia, Bekir Bozdag em entrevista à rede pública de televisão TRT.

O político declarou que tinha pedido a abertura de contatos com o governo holandês para iniciar um processo de repatriação do garoto, identificado como Yunus. Ele atualmente tem 9 anos.

Segundo o jornal turco “Hürriyet”, a mãe do menino, Nurgül Azeroglu, que tinha emigrado para a Holanda, perdeu no país europeu a guarda de seus três filhos em 2004, quando Yunus tinha apenas 6 meses. Fontes da família explicaram ao jornal turco que um recurso contra a retirada da guarda foi rejeitado porque a mãe não falava holandês. Mais tarde, porém, os dois irmãos mais velhos de Yunus rejeitaram a custódia do governo e voltaram a viver com seus pais turcos.

Bozdag afirmou que o governo turco dará apoio legal à mãe e à família, atendendo aos direitos dos cidadãos do país residentes no exterior. Com informações da EFE e do Portal Terra.

Fonte: www.juliosevero.com
Rússia dá um fim em adoções para gays e solteiros
Duplas lésbicas são agora “melhores” do que mães e pais?
Estudo mostra que homossexuais criando “filhos” é diferente de pai e mãe criando-os
Crianças criadas por duplas homossexuais têm mais probabilidade de se identificarem como gays
Dupla homossexual de pais-de-santo estupra criança e Globo, novamente, omite os nomes dos criminosos
Gay estuprador de crianças e bebês pega só 18 anos de cadeia
Dupla gay estupra menino de 5 anos e recebe proteção especial do governo do Estado de São Paulo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...